quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Grande comício “Acelera Pará”

Toda militância está convidada para participar do último comício da coligação “Acelera Pará” nas eleições 2010.

O grande comício acontece nesta quinta-feira (30) a partir das 19 horas. A concentração será na Praça da Leitura, no bairro de São Brás, em Belém.

Contamos com sua presença. Captou?


http://www.jorgepanzera.com.br/

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Cai obrigatoriedade de levar dois documentos

Com o placar de 7 votos a 0, o Supremo Tribunal Federal (STF) caminha para decisão de barrar a obrigatoriedade de levar dois documentos no dia das eleições, como havia sido determinado pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A sessão está sendo realizada neste momento no STF.

Ana Júlia anuncia que seu segundo voto para o Senado será ” 151”, de Jader

A candidata à reeleição ao governo do Estado, Ana Júlia (PT), da Frente Popular Acelera Pará, afirmou, nesta quarta-feira, 29, que o seu segundo voto para o Senado, depois de Paulo Rocha (131), será “no 151”, de Jader Barbalho (PMDB), aliado nacional do PT. Ela fez a declaração durante visita à fábrica da Sococo, no Distrito Industrial de Ananindeua, Região Metropolitana de Belém, em discurso para 1.600 trabalhadores. O apoio a Jader foi deliberado em reunião com a direção do PT, informou Ana Júlia, após discursar na fábrica.

“A gente está pedindo o primeiro voto no 131 (Paulo Rocha) e o segundo voto no 151 (Jader Barbalho)”, disse Ana Júlia, afirmando ainda que também votará em Jader. Ana Júlia justificou a necessidade de eleger senadores alinhados com a futura presidente do Brasil, Dilma Rousseff (PT).

Ana Júlia lembrou que o país perdeu R$ 40 bilhões de recursos da saúde, sendo que o Pará perdeu cerca de R$ 2 bilhões, porque os atuais senadores rejeitaram a renovação da CPMF, incluindo os senadores paraenses.

A candidata chegou cedo, às 7h30, na fábrica da Sococo, onde conversou e tomou café com os funcionários e diretores, além do presidente da Associação das Empresas do Distrito Industrial de Ananindeua, Antônio Macedo. O presidente da Sococo, Emerson Tenório, disse que estava honrado e feliz em receber Ana Júlia na fábrica, pois ela é uma grande parceira das indústrias paraenses que manteve os incentivos fiscais, garantindo a expansão do negócio e o aumento de empregos.

“Fico feliz por ver o Estado na rota definitiva do desenvolvimento. Eu testemunhei o seu apoio às indústrias”, disse Tenório à candidata, que também ressaltou a amizade com o candidato a vice-governador da coligação, Anivaldo Vale (PR).

Ana Júlia garantiu que concluirá as obras do Distrito Industrial de Ananindeua, construindo o Centro de Convivência de Negócios e a ciclovia, como fez em Icoaraci. Ela explicou que a obra foi paralisada porque o Estado perdeu recursos com a crise econômica mundial.

A demora na retomada das obras foi provocada pelos deputados estaduais da oposição, que tumultuaram a aprovação do empréstimo de R$ 366 milhões, concedido pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para socorrer o Pará.

Ana também anunciou que, no próximo mandato, construirá uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em Ananindeua, como fez em Altamira, e mais 41 UPAs no Estado, além de uma creche no Distrito Industrial, atendendo ao pedido das funcionárias da fábrica.

Ana também vai continuar investindo na melhoria da segurança pública, aumentando o efetivo policial e repassando mais viaturas, armas e equipamentos, bem como na prevenção, através de programas de inclusão social, como alternativa para melhorar a vida das pessoas. Ela vai ampliar o Bolsa Trabalho, que já capacitou profissionalmente mais de 70 mil jovens, sendo 3.500 deles em Ananindeua.

Também será ampliado o Navegapará, programa que já leva internet pública e gratuita a 2,5 milhões de habitantes no Estado. Também serão construídos o campus da Universidade do Estado do Pará (UEPA) na Granja do Icuí, que serviu de residência oficial ao governante do Estado, e uma praça da juventude no município.

O funcionário Bruno Lee Garcia, de 30 anos, pedreiro, agradeceu Ana Júlia porque o filho de nove anos recebeu uniforme e material escolar na gestão da petista e, atualmente, ele tem aulas de futebol de salão à tarde no Centro de Referência em Assistência Social (CRAS). Além disso, a esposa está iniciando o curso de corte e costura pelo Bolsa Trabalho, que recebe a bolsa e o auxílio transporte para estudar. “Ela (esposa) está realizando o sonho da vida dela”, agradeceu.

Ana Júlia garantiu que as etapas do Ação Metrópole serão concluídas para garantir a melhoria do sistema de trânsito na área Metropolitana, como o prolongamento da Avenida João Paulo II até a Perimetral e o prolongamento da Avenida Independência, já iniciado, além da construção dos terminais de integração de ônibus, que possibilitarão aos passageiros pagar apenas uma passagem para transitar entre Belém, Icoaraci e a BR-316.

Ela reafirmou o compromisso de continuar fortalecendo a Companhia de Saneamento do Estado (Cosanpa), mantendo-a estatizada e ampliando o abastecimento de água em Ananindeua. A candidata lançou as bases para atrair mais indústrias ao Estado, principalmente para agregar valor às riquezas do Pará, em especial a recuperação do projeto da grande siderúrgica da Vale, perdida para o Maranhão na gestão do PSDB, mas que foi recuperada por Ana Júlia e gerará 20 mil empregos diretos, além de atrair mais indústrias ao Estado.

Ao final da visita, Ana Júlia foi homenageada com um buquê de rosas pelo presidente da empresa. Ela dividiu as flores com algumas funcionárias, como a auxiliar de produção Raquel Costa, de 30 anos: “Eu estava com outro candidato, mas o que ela (Ana Júlia) falou me convenceu. Ela tem que continuar. O que não deu para ela fazer no primeiro mandato, vai fazer no segundo”, disse Raquel.

“A conversa com a Ana Júlia foi muito boa, acredito que ela vencerá as eleições mais uma vez para concluiu as obras que estão em andamento”, disse o funcionário Raimundo dos Santos Júnior, de 23 anos, descascador.


Fonte: http://www.anajulia13.com.br/ana-julia-anuncia-que-seu-segundo-voto-para-o-senado-sera-%E2%80%9D-151%E2%80%9D-de-jader/

Pesquisas desmentem Datafolha e apontam Dilma eleita no 1º turno

Duas pesquisas de intenções de voto divulgadas na manhã desta quarta-feira (29) desmantelaram a versão de que as eleições presidenciais caminham, naturalmente, para o segundo turno. De acordo com os levantamentos CNI/Ibope e CNT/Sensus, a candidata Dilma Rousseff, da coligação Para o Brasil Seguir Mudando, mantém larga liderança e deve vencer, já em 3 de outubro, a disputa contra José Serra (PSDB) e Marina Silva (PV).

Jornal inglês diz que Dilma é "uma líder extraordinária"

O jornal The Independent destacou neste domingo que o Brasil se prepara para eleger no próximo final de semana a "mulher mais poderosa do mundo" e "uma líder extraordinária". As pesquisas mostram que ela construiu uma posição inexpugnável – de mais de 50%, comparado com menos de 30% - sobre o seu rival mais próximo, homem enfadonho de centro, chamado José Serra. Jornal também afirma que candidata tem sofrido ataques em uma campanha impiedosa de degradação patrocinada pela mídia brasileira.

Hugh O'Shaughnessy - The Independent

A mulher mais poderosa do mundo começará a andar com as próprias pernas no próximo fim de semana. Forte e vigorosa aos 63 anos, essa ex-líder da resistência a uma ditadura militar (que a torturou) se prepara para conquistar o seu lugar como Presidente do Brasil.Como chefe de estado, a Presidente Dilma Rousseff seria mais poderosa que a Chanceler da Alemanha, Angela Merkel e que a Secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton: seu país enorme de 200 milhões de pessoas está comemorando seu novo tesouro petrolífero. A taxa de crescimento do Brasil, rivalizando com a China, é algo que a Europa e Washington podem apenas invejar.A senhora Rousseff, filha de um imigrante búlgaro no Brasil e de sua esposa, professora primária, foi beneficiada por ser, de fato, a primeira ministra do imensamente popular Presidente Luiz Inácio Lula da Silva, ex-líder sindical. Mas com uma história de determinação e sucesso (que inclui ter se curado de um câncer linfático), essa companheira, mãe e avó será mulher por si mesma. As pesquisas mostram que ela construiu uma posição inexpugnável – de mais de 50%, comparado com menos de 30% - sobre o seu rival mais próximo, homem enfadonho de centro, chamado José Serra. Há pouca dúvida de que ela estará instalada no Palácio Presidencial Alvorada de Brasília, em janeiro.Quando menina, na provinciana cidade de Belo Horizonte, ela diz que sonhava respectivamente em se tornar bailarina, bombeira e uma artista de trapézio. As freiras de sua escola levavam suas turmas para as áreas pobres para mostrá-las a grande desigualdade entre a minoria de classe média e a vasta maioria de pobres. Ela lembra que quando um menino pobre de olhos tristes chegou à porta da casa de sua família ela rasgou uma nota de dinheiro pela metade e dividiu com ele, sem saber que metade de uma nota não tinha valor.Seu pai, Pedro, morreu quando ela tinha 14 anos, mas a essas alturas ele já tinha apresentado a Dilma os romances de Zola e Dostoiévski. Depois disso, ela e seus irmãos tiveram de batalhar duro com sua mãe para alcançar seus objetivos. Aos 16 anos ela estava na POLOP (Política Operária), um grupo organizado por fora do tradicional Partido Comunista Brasileiro que buscava trazer o socialismo para quem pouco sabia a seu respeito.Os generais tomaram o poder em 1964 e instauraram um reino de terror para defender o que chamavam “segurança nacional”. Ela se juntou aos grupos radicais secretos que não viam nada de errado em pegar em armas para combater um regime militar ilegítimo. Além de agradarem aos ricos e esmagar sindicatos e classes baixas, os generais censuraram a imprensa, proibindo editores de deixarem espaços vazios nos jornais para mostrar onde as notícias tinham sido suprimidas.Em 1973 ela se mudou para o próspero estado do sul, o Rio Grande do Sul, onde seu segundo marido, um advogado, estava terminando de cumprir sua pena como prisioneiro político (seu primeiro casamento com um jovem militante de esquerda, Claudio Galeno, não sobreviveu às tensões de duas pessoas na correria, em cidades diferentes). Ela voltou à universidade, começou a trabalhar para o governo do estado em 1975, e teve uma filha, Paula.Em 1986 ela foi nomeada secretária de finanças da cidade de Porto Alegre, a capital do estado, onde seus talentos políticos começaram a florescer. Os anos 1990 foram anos de bons ventos para ela. Em 1993 ela foi nomeada secretária de minas e energia do estado, e impulsionou amplamente o aumento da produção de energia, assegurando que o estado enfrentasse o racionamento de energia de que o resto do país padeceu.Ela fez mil quilômetros de novas linhas de energia elétrica, novas barragens e estações de energia térmica construídas, enquanto persuadia os cidadãos a desligarem as luzes sempre que pudessem. Sua estrela política começou a brilhar muito. Mas em 1994, depois de 24 anos juntos, ela se separou do Senhor Araújo, aparentemente de maneira amigável. Ao mesmo tempo ela se voltou à vida acadêmica e política, mas sua tentativa de concluir o doutorado em ciências sociais fracassou em 1998.Em 2000 ela adquiriu seu espaço com Lula e seu Partido dos Trabalhadores, que se volta sucessivamente para a combinação de crescimento econômico com o ataque à pobreza. Os dois se deram bem imediatamente e ela se tornou sua primeira ministra de energia em 2003. Dois anos depois ele a tornou chefe da casa civil e desde então passou a apostar nela para a sua sucessão. Ela estava ao lado de Lula quando o Brasil encontrou uma vasta camada de petróleo, ajudando o líder que muitos da mídia européia e estadunidense denunciaram uma década atrás como um militante da extrema esquerda a retirar 24 milhões de brasileiros da pobreza. Lula estava com ela em abril do ano passado quando foi diagnosticada com um câncer linfático, uma condição declarada sob controle há um ano.

Sua ampla vitória prevista para a próxima eleição presidencial será comemorada com encantamento por milhões de brasileiros.

Asteróide "perigoso" passará próximo à Terra em outubro

O Telescópio Pan-STARRS (Panoramic Survey Telescope & Rapid Response System, em inglês) descobriu asteroide que passará a 6 milhões de km da Terra no meio do mês de outubro. O objeto possui cerca de 45 metros de diâmetro e foi encontrado quando estava cerca de 32 milhões de km mais distante. As informações são do site Science Daily.
É o primeiro asteroide que pode trazer algum perigo à Terra a ser descoberto pelo telescópio. O objeto foi chamado de 2010 ST3. “Esse asteroide não irá atingir a Terra em um futuro imediato, mas a descoberta mostra que o Pan-STARRS é um ótimo sistema para detectar potenciais asteroides perigosos”, disse ao site Robert Jedicke, da Universidade do Havaí, Estados Unidos, que está trabalhando com os dados do asteroide. “O asteroide estava muito longe para ser detectado por outros sistemas”, completou Jedicke.

A expectativa é de que o Pan-STARRS encontre dezenas de milhares de novos asteroides todo ano com precisão suficiente para calcular suas órbitas ao redor do sol. Qualquer objeto de tamanho considerável e que pareça vir próximo à Terra nos próximos 50 anos será considerado potencialmente perigoso e monitorado cuidadosamente. Especialistas da Nasa acreditam que, com alguns anos de cuidado, será possível organizar uma missão espacial para combater qualquer asteroide descoberto que esteja em rota de colisão com a Terra.

O Telescópio Pan-STARRS é mantido por diversas instituições internacionais. (Fonte: Portal Terra)

LAUDO É LAUDO... FATO VERÍDICO

É assim que funciona no sertão do Brasil. Veja o Laudo Pericial.Em Goiana, cidade do interior de Pernambuco, o delegado registrou a queixa de uma moça, que se dizia deflorada pelo namorado. Na ausência de médico na cidade, pediu um laudo, por escrito, a uma parteira afamada da região.

Eis o laudo proferido pela profissional, que foi anexado ao processo:"Eu, Maria Francisca da Conceição, parteira oficial do distrito de Tejucupapo, declaro para o bem do meu ofício, que, examinando os baixos fudeutórios de Maria das Mercedes, constatei manchas arroxicadas na altura da crica, que, para mim, ou foi supapo de rola ou solavanco de pica. É verdade e dou fé".

Candidatura de Collor pode ser cassada

O Ministério Público Eleitoral em Alagoas (MPE-AL) entrou com uma ação pedindo a cassação da candidatura de Fernando Collor (PTB) ao governo de Alagoas. Collor é acusado de abuso de poder econômico e de utilização indevida de meios de comunicação social na realização e divulgação de pesquisa eleitoral fraudulenta.

A pesquisa — publicada pelo Jornal Gazeta de Alagoas e realizada pelo Gazeta Pesquisa (Gape), empresas da família do senador — coloca Collor na frente dos adversários, com 38%, dez pontos porcentuais a mais que o levantamento feito pelo Ibope, que registra 28% de intenção de voto no ex-presidente.

Outro candidato, Ronaldo Lessa (PDT), que aparece com 23% na pesquisa do Gape/Gazeta, lideraria a pesquisa do Ibope com 29%. Candidato à reeleição, o governador Teotônio Vilela (PSDB) aparece com 16% na Gape/Gazeta e com 24% no Ibope.

Segundo o Ministério Público, ao contrário do determinado pela Resolução 23190/2010 do Tribunal Superior Eleitoral e do informado pela Gazeta, a pesquisa do Gape não representou fielmente o eleitorado alagoano: “Houve deturpação na representatividade da parcela da população que ganha até um salário mínimo com o claro fim de beneficiar o candidato Collor”.

Caso sua candidatura seja cassada, Collor poderá ficar inelegível por oito anos.

O Dia online

No penúltimo programa eleitoral na TV, Dilma mostra avanços do governo Lula

Na reta final da campanha eleitoral, e com maiores chances de encarar um segundo turno, a candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, buscou mostrar os avanços do governo Lula nos campos social e econômico, em comparação ao antecessor Fernando Henrique Cardoso (1995-2002), durante a propaganda eleitoral gratuita à noite. E voltou a usar a imagem do presidente Lula, que tem aprovação de quase 80% da população. Entre outros, a campanha de Dilma mostrou que, "no governo passado", não existia o programa "Luz para Todos", informatização das agências do INSS e redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para automóveis. Dilma também destacou que, sob o governo Lula, 36 milhões de pessoas subiram para a classe média e outras 28 milhões saíram da condição de pobreza absoluta.

- Ninguém que nasce pobre está condenado a ser pobre para sempre - afirmou uma sorridente candidata.

O presidente Lula voltou a aparecer no programa de Dilma. Primeiro, comemorando o fortalecimento da Petrobras, que conseguiu levantar R$ 120 bilhões na maior capitalização do mundo para invetir na exploração da camada do pré-sal. O presidente também voltou a falar da competência gerencial da candidata que, na opinião dele, está preparada para governar o país.

Já o candidato do PSDB à Presidência, José Serra, também buscou mostrar seus feitos como governador e prefeito de São Paulo, como o "Mãe brasileira", que garante seis consultas a cada gestante e a indicação de qual maternidade será atendida. O tucano, que não citou a perda de espaço de Dilma nas última pesquisas, voltou a falar sobre suas promessas de reajustar o salário mínimo a R$ 600 em 2011. Além disso, Serra garante que, se eleito, também concederá aumento de 10% aos aposentados e pensionistas do INSS também no ano que vem.

Em seu programa, Serra continou sem citar o ex-presidente FHC, mas contou com a aparição - rápida - do canditato tucano ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, incentivando a população a votar no candidato do PSDB. Apenas a candidata do PV, Marina Silva, colocou em sua propaganda eleitoral os resultados de pesquisas recentes, que mostram seu avanço na preferência do eleitorado, sobretudo no Rio.

O GLOBO

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Plenária Final da Campanha do PCdoB

Nova Data da Plenária - QUARTA-FEIRA (29/09).
É chegada a hora da virada e precisamos preparar nosso exército para os últimos dias dessa grande e vitoriosa Campanha que o PCdoB no Pará já realizou nestes últimos anos.
O PCdoB é um Partido forte, aberto, alegre, criativo, presente com campanha em todos os bairros, praças, feiras, escolas, e em diversos municípios. Nossa Campanha é criativa e combativa, realizada por uma militância aguerrida e convicta de que precisamos construir um país com mais desenvolvimento para todos.
Plenária Final da Campanha 6565.
Data: 29/09/2010 (quarta-feira)
Horário: 18h30
Local: Escola de Samba Quem São Eles
End: Avenida Almirante Wandekolk (Domingos Marreiros X Boaventura da Silva)
Sua Presença é indispensável, traga mais um (a) amigo (a), simpatizante, apoiador (a) e vamos fazer com que cada pessoa presente leve material e multiplique em uma rede de apoiadores rumo a grande vitória!
Comissão Política Estadual do PCdoB

Chávez: Sólida vitória do povo aprofunda revolução bolivariana

O povo venezuelano obteve uma grande vitória no caminho para a consolidação do Poder Popular nas eleições parlamentares realizada neste domingo (26), ratificando com seu voto a escolha pela coalização dos socialistas com os comunistas, base de sustentação do governo Chávez.

Estagnado nas pesquisas, Serra foge de Dilma em debate da Record

Há meses sem avanços significativos nas pesquisas de intenções de voto, o candidato do PSDB à Presidência, José Serra, evitou embate direto com a adversária, Dilma Rousseff, da coligação Para o Brasil Seguir Mudando, em debate da TV Record, neste domingo (26). Quando teve a possibilidade de perguntar diretamente a Dilma, Serra escolheu Marina Silva, candidata do PV, e Plínio de Arruda Sampaio, candidato do PSOL.

domingo, 26 de setembro de 2010

O DIA DE HOJE NA HISTÓRIA


26 SETEMBRO

Em 1727 – O Governo do Pará anuncia ao rei a morte de Ajuricaba, líder dos Manaú e Maiapena na guerra contra a escravidão (1723-1727) sob o lema “Esta terra tem dono”. Preso, ele se atira, do barco que o levava, para as águas do Amazonas. Preferiu a morte à escravidão.

Feministas apoiam Netinho de Paula para o Senado

Em nota, ativistas do movimento de mulheres declaram apoio ao candidato ao Senado pelo PCdoB, Netinho de Paulo. De acordo com o texto, Netinho poderá ser “um importante aliado em defesa dos direitos do povo, incluídos os direitos da mulher”.
A nota é assinada por ativistas como a presidente estadual do PCdoB-SP, Nádia Campeão, a secretária Nacional do PCdoB, Liége Rocha, a candidata a deputada estadual pelo PCdoB, Leci Brandão, entre outras importantes representantes do movimento de mulheres do estado de São Paulo.
Leia abaixo parte da nota:
“O candidato ao senado pelo PCdoB, Netinho de Paula, está sendo alvo de um ataque rasteiro que está na internet, na grande imprensa e explorado politicamente na campanha eleitoral da oposição na TV. Refere-se a um episódio de agressão a uma ex-companheira, que teve repercussão na imprensa há cinco anos.Netinho já fez profunda autocrítica de seu ato. Publicamente pediu “perdão a todas as mulheres brasileiras” por seu ato, que considerou injustificável. Reconheceu que cometeu um erro e que nada justifica a violência contra a mulher. Convidou para seu programa de estréia no SBT, o Show da Gente , em 9 de maio do ano passado, a companheira Maria da Penha, que deu nome à lei de combate à violência contra a mulher.
A própria Maria da Penha afirmou que esta sua atitude representava uma grande contribuição ao combate à violência contra a mulher. Além disso, a própria Lei é inovadora por considerar que se deve trabalhar com os homens visando alterar seu comportamento, já que eles não são violentos pela própria natureza. Seu comportamento pode mudar. E o exemplo de Netinho é emblemático da justeza da lei. O que se pede mais?...”

Emir Sader: Marina, queridinha da mídia

De jurásica, ecologista fundamentalista, que travava o desenvolvimento do país, Marina virou a nova queridinha da mídia – lugar deixado vago por Heloisa Helena. Mas o fenômeno é o mesmo: desespero da direita para chegar ao segundo turno e incapacidade de alavancar seu candidato.
Daí a promoção de uma candidata que, crêem eles, pode tirar votos da Dilma, para tentar fazer com que a derrota não seja tão acachapante, levando a disputa para o segundo turno e dando mais margem do denuncismo golpista de atuar.Marina, por sua vez, para se prestar a esse papel, se descaracterizou totalmente, já não tem mais nada de candidata verde, alternativa. Não tem agenda própria, só reage, sempre com benevolência, às provocações da direita, seja sobre os sigilos bancários, a Casa Civil ou qualquer insinuação da direita.Presta um desserviço fundamental à causa que supostamente representaria: é um triste fim do projeto de construir um projeto verde, uma alternativa ecológica, uma pauta fundada no equilíbrio ambiental para o Brasil. Tornou-se uma candidata vulgar, em que nem setores de esquerda descontentes com outras correntes conseguem se representar.Uma vez mais uma tentativa de construir alternativa à esquerda deixa-se levar pelo oportunismo. Quantas vezes Marina denunciou o monopólio da mídia privada e seu papel assumido de partido político da oposição? Nenhuma. Quantas vezes afirmou que a imprensa é totalmente alinhada com uma linha radical de oposição, não deixando espaços para a informação minimamente objetiva e para o debate democrático da opinião pública? Nenhuma. Quantas vezes se alinhou claramente com a esquerda contra a direita? Nenhuma.Nenhuma, porque já não está no campo da esquerda – e os aliados, incluídos os que fazem campanha par ao Serra, como Gabeira, entre outros, provam isso. Se situa em um nebuloso espaço da terceira via – refúgio do oportunismo, quando os grandes enfrentamentos polarizam entre direita e esquerda. Nenhuma, porque essa mesma imprensa golpista, monopolista, que a criticava tanto, agora lhe abre generosos espaços para desfilar seu rancor porque não foi a candidata do Lula e vê a Dilma ser promovida a continuadora do governo mais popular da história do país.Esses 15 minutos de gloria serão sucedidos pela ostracismo, pela intranscendência. Depois de usada, sem resultados, pela direita, Marina voltará ao isolamento, o suposto projeto verde, depois de confirmado o amálgama eleitoreiro que o articulou, desaparecerá, deixando cadáveres políticos pelo caminho.Fonte: Carta Maior

Caminhada do PCdoB contagia as ruas de Belém no último sábado.


A militância e os candidatos comunistas estiveram reunidos na manhã deste sábado (25) em uma grande caminhada que percorreu as principais ruas de Belém. A caminhada rumo a vitória no dia 03 de outubro iniciou na Avenida Presidente Vargas, principal rua da capital paraense, e seguiu pela Avenida Conselheiro Furtado, Travessa Padre Eutiquio e Avenida Assis de Vasconcelos.
Durante o trajeto os candidatos em cima de um mini trio pediram votos e mostraram ao povo a forma diferente de fazer política do Partido Comunista do Brasil (PCdoB). “Nós precisamos dá continuidade nas mudanças no Brasil e aqui no Pará. Não vamos deixar a turma que privatizou a Celpa, deixou o Pará cerca de dez anos sem concurso público, e que agora querem acabar com a siderúrgica que Ana Júlia (candidata reeleição do governo paraense) conseguiu trazer ao nosso Estado. Por isso, votem nos candidatos do PCdoB, votem nos candidatos do 65”, conclamou Jorge Panzera, candidato a deputado federal.
Jorge Panzera também destacou que: “Queremos construir um caminho de rumo e transformação com um mandato diferente, vote em Jorge Panzera para deputado federal”. A militância vibrou com o discurso de Panzera e ecoava nas ruas em um só coro a frase: “Homem de luta não têm igual. Jorge Panzera deputado federal”.
Em todo o percurso a militância comunista conversava com os eleitores e entregavam panfletos com as propostas dos candidatos comunistas. Os candidatos a deputado estadual, Henos, Sarah, Jorge Farias, Anderson Maia, Everaldo da Comunidade, Wanja, Branca, Professora Eva, e a militância dos candidatos Antônio Oliveira, Paulo Fonteles e Leila Márcia prestigiaram o evento e tiveram também a oportunidade para falar e expor suas plataformas de luta na conquista do mandato. (por Isa Arnour)

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Joaquim Roriz desiste de candidatura ao governo do DF e lança esposa

O ex-governador do Distrito Federal (DF) Joaquim Roriz (PSC) desistiu de disputar as eleições do dia 3 por causa da indefinição do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o recurso contra a impugnação de sua candidatura. A informação é do advogado de Roriz, Eri Varela.

“A Justiça tardia é injustiça. O STF, ao não decidir (sobre o recurso), perpetua a injustiça. O povo do DF não pode esperar.” A votação do recurso de Roriz terminou empatada na madrugada desta sexta-feira (24) por cinco a cinco.

Varela confirmou que o político indicou a sua mulher, Weslian Roriz, para concorrer ao cargo. Segundo o advogado, ela foi escolhida por ser “decente, digna e com facilidade em lidar com as causas sociais”.

Questionado se Weslian seria “laranja” de Roriz, ele disse “de forma alguma”. Eri Varela acrescentou que o DF não pode esperar a indicação de um novo ministro do Supremo pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em substituição a Eros Grau, que se aposentou em agosto.

A decisão do STF sobre o caso de Roriz valerá para todos os outros casos semelhantes que chegaram ao Supremo, pois ganhou status de “repercussão geral”. Os posicionamentos darão base aos julgamentos posteriores sobre a Ficha Limpa, já que os ministros estão se posicionando sobre os principais aspectos relativos à constitucionalidade da norma.

A defesa de Roriz havia entrado com um recurso extraordinário questionando decisão anterior do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que negou seu registro de candidatura.

O TSE, que usou a Lei da Ficha Limpa, entendeu que Roriz é inelegível por ter renunciado ao mandato de senador em 2007 para escapar de processo no Conselho de Ética no Senado. Ele foi acusado de envolvimento em um escândalo de corrupção que poderia culminar na cassação de seu mandato.

A lei de iniciativa popular contou com a assinatura de 1,6 milhão de pessoas antes de ser aprovada pelo Congresso, em maio, e sancionada sem vetos pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva no início de junho

Abril.com

quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Um pouco de diversão

Em São Paulo, um cara passou mal no meio da rua, caiu, e foi levado para o setor de emergência de
um hospital particular, pertencente à Universidade Católica, e administrado totalmente por Freiras.


Lá, verificou-se que teria que ser urgentemente operado no coração, o que foi feito com êxito.

Quando acordou, a seu lado estava a Freira responsável pela tesouraria do hospital e que lhe disse prontamente:

- Caro Senhor, sua operação foi bem sucedida e o Senhor está salvo. Entretanto, um assunto precisa sua urgente atenção: como o Senhor pretende pagar a conta do hospital? O Senhor tem seguro-saúde?

- Não, Irmã.

- Tem cartão de crédito?

- Não, Irmã.

- Pode pagar em dinheiro?

- Não tenho dinheiro, Irmã.

- Em cheque, então?

- Também não, Irmã.

- Bem, o senhor tem algum parente que possa pagar a conta?

- Ah... Irmã, eu tenho somente uma irmã solteirona, que é freira, mas não tem um tostão.

E a Freira corrigindo-o:

- Desculpe que lhe corrija, mas as freiras não são solteironas, como o senhor disse. Elas são casadas com Deus!

- Magnífico! Então, por favor, mande a conta pro meu cunhado!

E foi então, que nasceu a expressão: "Deus lhe pague".

Mídia sente o golpe e organiza a direita pró-Serra para apoiá-la

Um grupo de personalidades, a maioria acadêmicos de direita ligados ao PSDB, lançou nesta quarta-feira (22) o "Manifesto em Defesa da Democracia". Apesar de usar a palavra “democracia” no nome do manifesto, o texto é um verdadeiro editorial de solidariedade à candidatura presidencial de José Serra e à grande mídia. Em uma risível contradição, o texto diz que o presidente Lula "ameaça a democracia" ao intervir com suas opiniões no processo eleitoral.

Articulado pelo empresariado que comanda os grandes jornais paulistas –os mesmos que deram apoio ao golpe de 64 e à ditadura militar-- o manifesto pró-mídia é uma tentativa destes grupos empresariais da comunicação de responder ao ato convocado há duas semanas pelo Centro de Estudos da Mídia Alternativa Barão de Itararé. O ato será realizado nesta quinta-feira (23), no Sindicato dos Jornalistas de São Paulo, e tem como objetivo protestar contra a parcialidade e o jogo sujo da grande imprensa nesta reta final da campanha eleitoral. (por Cláudio Gonzalez)

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Pedido de vista interrompe julgamento da Lei da Ficha Limpa no Supremo

O ministro Dias Toffoli pediu vista e interrompeu o julgamento da Lei da Ficha Limpa no STF (Supremo Tribunal Federal), que deve ser retomado nesta quinta-feira (23). O pedido foi provocado por argumento do presidente da Corte, Cezar Peluso, que afirmou haver um vício formal na norma, o que a derrubaria em sua origem. Até o momento, a lei tem um voto favorável, do ministro relator.
Segundo Peluso, o texto original foi alterado pelo Senado e não retornou à Câmara, violando o processo constitucional legislativo, “porque não foram adotadas as exigências de tramitação no caso de emenda”. Provocando a reação dos colegas, Peluso afirmou que se trata de um “caso de arremedo de lei” e que a “inconstitucionalidade formal” impede que a lei sequer seja analisada pela Corte em seu mérito.
A questão é a mudança de um tempo verbal inserido por uma emenda do senador Francisco Dornelles (PP-RJ), que estabeleceu que a proibição só valerá para sentenças proferidas após a promulgação da lei.
(por Rosanne D'Agostino)

Meio milhão de índios são chamados a votar em três de outubro


Meio milhão de índios no Brasil são eleitores. O número exato de títulos emitidos para indígenas é desconhecido. Mas, mesmo não sendo obrigados a votar, eles participam cada vez mais das decisões políticas do país.

Em 22 de setembro de 1984, na Assembléia Legislativa de São Paulo, Aldo Rebelo, atual candidato a reeleição para a Câmara Federal pelo PCdoB, foi eleito o primeiro presidente da UJS (União da Juventude Socialista). De lá para cá, a UJS já fez muita história. Atualmente tornou-se a maior organização de jovens do país. Nestas eleições de 2010 não é diferente. A comemoração dos 26 anos da entidade acontece nas ruas, na Semana de Mobilização da Juventude com Dilma presidente.
A presidência da UJS nacional de 1994/96 foi exercida pelo candidato a deputado federal Jorge Panzera – 6565.
Parabéns à UJS! Viva a juventude brasileira!

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Mensagem Hora da Colheita, de Jorge Panzera



Postado por Isa Arnour

Diretor do banco do Vaticano é investigado por corrupção-fonte

Há aqueles que acham que o Brasil é a terra da corrupção. Engano total !!! A corrupção está na raiz do capitalismo, onde prevalece o individualismo, a busca da vantagem a qualquer custo. Vejam a notícia abaixo:
ROMA (Reuters) - O diretor do Banco do Vaticano, Ettore Gotti Tedeschi, está sendo investigado por magistrados de Roma por suspeita de lavagem de dinheiro na instituição, disseram fontes da Justiça local nesta terça-feira.
O gabinete dele e o porta-voz do Vaticano afirmaram nada ter a comentar sobre o assunto.
O banco do Vaticano, conhecido oficialmente como Instituto para as Obras Religiosas (IOR), envolveu-se pela última vez em um grande escândalo em 1982, quando esteve implicado na falência fraudulenta do Banco Ambrosiano, então o maior banco privado da Itália.
(Reportagem da Redação de Roma e Philip Pullella)

Rir faz bem pra saúde: "A peleja entre o advogado e o médico"

Advogados não são fáceis, mas médicos, às vezes são piores....

Um advogado, andando pela rua, viu uma placa que dizia: Clínica Médica: tratamos qualquer doença; resultado garantido ou seu dinheiro de volta em DOBRO.'

E pensou: 'Esses caras tão se achando espertos, vou enganá-los e ainda tirar uma grana.'
Entrou na clínica, pagou a consulta e o médico o recebeu sorridente:

- Pois não, o que o traz até aqui?

- Doutor, estou aqui com um grande problema, perdi meu paladar, não consigo mais sentir o gosto de nada; água, café, feijão, arroz.

E o médico:
- Ah, pois não.. Enfermeira, por favor, traga o pote número 13.

E veio o pote cheio de merda; o médico encheu uma colher e enfiou na boca do advogado.

- O que é isso? O senhor me deu merda?!! Tá maluco ???

E o médico imediatamente:
- Pronto, recuperou seu paladar, está curado!

O advogado saiu puto da vida pensando: 'O filho da puta me pegou dessa vez, mas agora tenho que recuperar minha grana. Dessa vez vou meter uma infalível.'

Dias depois entrou na clínica, pagou novamente a consulta e...
- Ora, ora, o senhor aqui de novo?!

E o advogado:
- Como assim, de novo? Quem é o senhor, quem sou eu? Perdi minha memória. O que estou fazendo aqui?

O médico sem pestanejar: - Ah, pois não, enfermeira, o pote número 13.

- O pote 13 de novo não, porra!

- Maravilha, recuperou a memória, está curado!

E o advogado, puto da vida...
"Levou meu dinheiro de novo. Não é possível!
Dessa vez não vou dar chance."
Uma semana depois lá estava o advogado novamente e....

- Mas vejam só, o senhor novamente! Em que posso ajudá-lo dessa vez?

- Pois é doutor, estou acabado dessa vez, perdi o tesão! Não tenho mais vontade de possuir ninguém. Vejo a Juliana Paes, a Flávia Alessandra, a Ana Paula Arósio e nada. Não tenho mais vontade nenhuma...

O médico pensou um pouco e solicitou:
- Enfermeira, o pote número...

- Se vier com essa porra de pote número 13 mais uma vez vou foder com o senhor, vou foder com essa sua enfermeira filha-da-puta... vou foder com todo mundo!...

- Pronto, já recuperou seu tesão! Está curado novamente!!!
________________________________________

Desmatamento tem queda recorde na Amazônia, diz ministra

O governo brasileiro trabalha com a indicação de que o desmatamento na Amazônia, no período 2009/2010, será o menor da série histórica, iniciada em 1977 – superando inclusive o resultado recorde verificado no período anterior (2008/2009).
O número oficial ainda está sendo processado pelo Prodes, sistema ligado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), e será divulgado em novembro. Mas o Ministério do Meio Ambiente já considera “viável” esperar algo entre 5.000 km2 e 6.000 km² de área desmatada no período.
“É claro que temos de ser cautelosos, pois o resultado pode ser afetado por uma série de fatores. Mas pelos nossos cálculos, dá para falar de algo em torno de 5.000 a 6.000 km²”, disse à BBC Brasil a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.
Se o número for confirmado, o país terá antecipado, para este ano, a meta de desmatamento prevista para 2015, de acordo com Plano Nacional de Mudanças Climáticas. Pelas metas, o desmatamento na Amazônia Legal terá de cair para 5.000 km² até 2017.
O Brasil já havia registrado queda recorde no desmatamento no período de 2008/2009, quando as derrubadas somaram 7.400 mil km².
Fiscalização – A estimativa de novo recorde foi feita com base nos dados do Deter, levantamento via satélite também ligado ao Inpe, que fornece dados de forma mais rápida, mas menos precisos que os do Prodes.
De acordo o Deter, que não “enxerga” áreas desmatadas com menos de 25 hectares, o desmatamento na região amazônica chegou a 2.294 km2 entre agosto de 2009 e julho de 2010 – uma redução de 48% em relação ao período anterior.
“O sistema do Deter nos permite ter uma ideia do que virá no Prodes, apesar de não haver uma relação direta. E também estamos considerando o fato de que a cobertura de nuvens foi menor no ano passado. Ou seja, podemos ter uma expectativa mais precisa”, diz a ministra.
Segundo ela, os números indicam que a estratégia de fiscalização “funcionou”. Uma das explicações está no uso de novas tecnologias que permitem detectar um maior número de áreas desmatadas, diz.
Mas a principal razão da queda, na avaliação de Izabella Teixeira, está na ideia de uma fiscalização maior sobre toda a cadeia produtiva.
“A ideia disso é fazer não apenas uma fiscalização dirigida ao desmatador, mas também ao fornecedor e à destinação. Fomos atrás não apenas do desmatador, mas também de quem processa. Assim, aquele que quer comprar começa a sair do jogo”, diz.

Aliados abandonam Serra à sua própria sorte na reta final da campanha


Chegada a reta final, políticos de todo o país passaram a pensar mais na própria eleição do que na campanha presidencial e o resultado é a maior debandada já vista até hoje na história do Partido da Social Democracia Brasileiro (PSDB). Em Minas, Estado que se tornou o fiel da balança para o tucano José Serra, os “santinhos” dos candidatos começam a aparecer com as chamadas “colas”, mas os dos candidatos aliados a Serra não indicam o voto no 45 para a Presidência. A “cola” estabelece a ordem dos candidatos que aparecerá na urna eletrônica.

Em Juiz de Fora, principal cidade da Zona da Mata mineira e domicílio eleitoral do ex-presidente da República Itamar Franco, candidato a uma vaga no Senado por um dos partidos aliados de Serra, o Partido Popular Socialista (PPS), cerca de 1 milhão de “colas” impressas pelo PSDB sairam com o campo reservado para o candidato à Presidência em branco. Foram assinalados apenas os números e nomes do ex-governador Aécio Neves (PSDB) e de Itamar Franco (PPS), candidatos a senador, e o do governador Antonio Anastasia (PSDB), que busca a reeleição. Esses três aparecem em uma foto, abraçados, sem nenhuma referência a Serra.

Aécio, que evitou colar a candidatura do ex-colega paulista à sua propaganda, chegou a ser chamado a São Paulo, onde ouviu do presidente da legenda, Sérgio Guerra, o pedido para que ajudasse o postulante tucano. O ex-governador mineiro, ainda que reticente, chegou a prometer alguns minutos no programa de TV e cumpriu a promessa. Na semana passada, inseriu três imagens do presidenciável tucano, sem qualquer referência às propostas do candidato ao Palácio do Planalto.

Para diminuir um pouco a pressão dos tucanos paulistas sobre os mineiros, Serra foi convidado para a “Caminhada da Vitória”, em Belo Horizonte. O Diretório Regional do partido, no entanto, ainda não informou a data. Irritado, Serra recebeu o convite, sem data e hora, como um sinal de má vontade dos correligionários mineiros. De sua parte, Aécio justificou o abandono com o argumento de que a nacionalização da disputa em Minas Gerais seria um risco à eleição de Anastasia.

Anastasia também acredita no argumento de Aécio:

– Temos uma base política que também apoia nacionalmente a candidata oficial no nível federal (Dilma Rousseff).

Palanque desfalcado

Em Sergipe, neste fim de semana, o abandono da candidatura oficial do PSDB ficou evidente no palanque do comício que não chegou a reunir 5 mil pessoas em uma das principais cidades do Estado. Serra foi totalmente abandonado por seu partido. Durante carreata, corpo a corpo e comício, o tucano esteve acompanhado apenas por candidatos do DEM de do PPS. Principal líder tucano no Estado, o ex-governador e candidato ao Senado Albano Franco faltou aos eventos.

Serra não conseguiu disfarçar o constrangimento durante comício no município de Itabaiana, a 54 km de Aracaju, quando o candidato do PPS ao Senado, Emanuel Cacho, afirmou que Albano Franco vota em Dilma.

– O seu aliado Albano Franco não está no palanque. Ele correu do palanque. Isso é uma vergonha. Albano Franco vota em Dilma Rousseff. Não vota no (candidato) a presidente da República do partido dele (Serra). Nós não podemos homologar o que está acontecendo – disse Cacho.

Candidato ao Senado pelo DEM, José Carlos Machado afirmou que Albano não reproduz o nome de Serra em seu material de campanha e que, de forma velada, apoia a candidatura do governador Marcelo Déda (PT).

– Todos os integrantes do PSDB aqui no Sergipe apoiam a candidatura de Déda – afirmou

Serra também obteve, junto ao pequeno público que acompanhou o comício, mais uma prova que a onda de denúncias patrocinada por ele nos últimos dias não chegam ao público e, quando isso acontece, acaba por prejudicá-lo ainda mais. Ele perguntou aos presentes se ficaram sabendo do escândalo da Casa Civil, que derrubou Erenice Guerra do posto de ministra.

– Vocês viram o novo escândalo. Quem soube do escândalo na Casa Civil. Um escândalo grave – disse. Meia-dúzia levantou o braço.

Assista ao vídeo em que Serra se constrangeu

Sem aliados

Além das deserções observadas nos Estados, partidos inteiros debandaram da nau serrista nos últimos dias. Depois do PSC, que abandonou a candidatura demotucana para apoiar Dilma Rousseff há mais de um mês, e do PP, que fechou “informalmente” com o PT em todo o Brasil, o PTB também está fora da aliança:

– Quase todos (os petebistas), na verdade, a grande maioria está com a Dilma – declarou o senador Romeu Tuma, candidato à reeleição pelo PTB, em recente visita acompanhada pela candidata ao Senado pelo PT, Marta Suplicy, à Prefeitura de Santo André. O município andreense é administrado por um petebista, Aidan Ravin, que também apoia a petista.

Tuma afirmou que a decisão do PTB de apoiar a coligação entre o DEM e o PSDB no Brasil e em São Paulo partiu apenas das cabeças de Campos Machado e (o deputado cassado) Roberto Jefferson, que comandam a legenda. No entanto, os dois, agora, não conseguem segurar os petebistas de todo país, que partem para a campanha de Dilma.

– O Roberto Jefferson e a Executiva acreditam na ditadura no partido. Muitos tem outras opiniões. Eles tomaram as decisões, mas em Brasília e em todo o Brasil, a maioria do PTB é Dilma – garantiu Tuma.

Candidato a deputado federal e vice-prefeito de São Bernardo, Frank Aguiar concorda com Tuma:

– Hoje, 80% do PTB apoiam, declaradamente, a Dilma.

Frank Aguiar faz parte da porcentagem que está com a petista. Outro petebista que declarou voto à Dilma é o ex-presidente Fernando Collor, em Alagoas.

Vale-tudo

Arquirrival de Serra, o ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu constatou, nesta segunda-feira, em seu blog, que o candidato tucano, diante da derrota iminente, “resolveu partir do vale-tudo em que já estava na campanha para a ignorância, como se diz popularmente”.

“O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, apesar de sua condição de ex-chefe de Estado e de Governo, compara o presidente Lula a Benito Mussolini, ditador chefe do fascismo na Itália; o ex-presidente nacional do PFL e ex-senador Jorge Bornhausen (SC), diz que o presidente da República bebeu ao criticar o Democratas; e alguns líderes deste partido associam o presidente aos nazistas”.

Serra, ainda segundo Dirceu, “usa qualquer tipo de baixaria em seu programa e entrevistas na televisão. No outro lado da telinha, José Serra continua perdido. Basta ver seus programas. Agora promete tudo: salário mínimo de R$ 600,00 com um custo de R$ 17 bi para o país; asfaltar a Transamazônica; uma ou diversas promessas em cada Estado que visita; várias – e até tudo – para cada região”, afirmou.

Para o ex-ministro, “os tucanos paulistas perderam as rendas dos punhos e revelam agora sua verdadeira face – autoritária, truculenta e reacionária. Fazem uma campanha de dar dó”.

Segundo Dirceu, a campanha de Dilma organizará, na última semana da campanha, uma série de visitas de casa em casa e irá preparar a ofensiva final “para vencer no primeiro turno e eleger a maioria na Câmara e no Senado, além do maior número de governadores”.

“Já (à campanha de) Serra não resta nada a não ser fabricar factóides, escândalos e baixarias. A cada dia que passa está mais sem campanha nos Estados, sem palanques, sem apoio dos candidatos a deputado, a senador e a governador de seu próprio partido”, afirmou.

Dirceu também percebeu que o candidato tucano tem sido, gradativamente, “abandonado pelos aliados e pelos governadores tucanos atuais”.

“Tenho visitado Estados e não há material – nem gente – dele nas ruas, carros, casas, em nenhuma cidade, enfim. Se é que existiu algum dia. Sua campanha inexiste hoje fora da midia e do horário eleitoral. Seus, porque nas redes eleitorais estaduais seus aliados nunca o colocaram na campanha. Sem aceitar provocações e sem nos igualar aos tucanos vamos vencer as eleições na política e no debate, com apoio da maioria do nosso povo”, constatou.

Jogaram a toalha

Às vésperas do primeiro turno das eleições, os principais líderes do PSDB e do DEM jogaram a toalha. Em conversa com jornalistas, três dos principais dirigentes partidários, um do DEM e dois tucanos, que preferiram guardar suas identidades, concordaram que o desânimo tomou conta da campanha de Serra. Um deles chegou a afirmou que a derrota do tucano é uma “evidência matemática”.

Não é de se estranhar tamanha falta de crença em uma quase impossível virada a essa altura dos acontecimentos. Para impedir que Dilma vença no primeiro turno, no próximo dia 3, seria preciso tomar dela algo perto dos 9,4 milhões de votos, ou o equivalente a 627 mil votos por dia. Os cálculos baseiam-se na última aferição do Datafolha, considerando-se somente os votos válidos, sem os brancos e nulos, nem os indecisos.

– Se a gente olha os percentuais das pesquisas, fica desanimado. Quando o percentual vira número de votos, entende-se o por quê – resigna-se o tucano.

Para o líder tucano Serra já fez todo o possível na campanha, ainda que de forma errática. Começou como uma oposição light ao presidente Lula. Ele atirava em Dilma, mas preservava o presidente, chegando a aparecer em fotos ao lado do líder petista, o que mereceu a crítica de aliados e adversários. Ao perceber que estratégia mais tirava do que conquistava os votos, partiu para a repercussão do noticiário sobre a violação do sigilo fiscal de tucanos. Ele elevou o tom contra a campanha adversária, mas as pesquisas mostraram apenas que a estratégia foi nociva e resolveram abandoná-la para, ato seguinte, partir para o ataque à ex-ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra.

Sobre o fato, o líder tucano lamentou:

– O Serra de hoje está distante do Serra dos primeiros dias da campanha como a Lua da Terra. E as pesquisas mostram que os dois Serras foram mal recebidos.

No DEM, embora Serra ainda encontre mais afeição do que dentro de seu próprio ninho, a situação não é muito diferente. A debandada segue firme e, nesse fim de semana, foi a vez do vice-prefeito Natanael Casavechia (DEM), de São José do Rio Claro (315 km ao Norte de Cuiabá) oficializar seu apoio à reeleição do governador Silval Barbosa (PMDB), candidato da coligação Mato Grosso em Primeiro Lugar, que apoia Dilma.

A manifestação aconteceu durante cumprimento de agenda de campanha no município. Silval foi recepcionado no aeroporto pelo vice e pelo prefeito municipal Massao Watanabe (PR). São José do Rio Claro foi o primeiro de sete municípios visitados pelo candidato. Do aeroporto, a comitiva seguiu em carreata pelas ruas e avenidas do município. A temperatura na cidade no início da manhã girava em torno de 31 º Celsius, mas o calor parecia maior em função da boa receptividade da Caravana da Vitória.

A carreata terminou na Praça Domingos Briante, onde Silval reuniu cerca de 300 pessoas para ouvir suas propostas para governar Mato Grosso por mais quatro anos, ao lado dos candidatos ao Senado, Blairo Maggi (PR) e Carlos Abicalil (PT).


Correio do Brasil

segunda-feira, 20 de setembro de 2010

"Brasil ficará mais forte se trabalhar com Rússia, Índia e China"

"O Brasil ficará muito mais forte se trabalhar com a Rússia, China e Índia na construção de uma alternativa para o Banco Mundial e para o FMI. É preciso criar sua própria estratégia de desenvolvimento para ficar livre da estratégia neoliberal que falhou. Juntos, vocês podem criar uma alternativa e preservar suas riquezas em vez de deixar que seja explorada pelo Norte", diz o economista Michael Hudson, em entrevista à Carta Maior. "Brasil deve agir na defesa de seus interesses. Essa é a única forma de ter influencia", acrescenta.

Severo crítico das políticas econômicas desenvolvidas pelos Estados Unidos e Europa para os países emergentes, o economista norte-americano Michael Hudson explica em entrevista à Carta Maior o seu ponto de vista para o desenvolvimento brasileiro no mundo pós-crise. (Cláudia Guerreiro - Especial para Carta Maior)

AS MULHERES COMUNISTAS CANDIDATAS NAS ELEIÇÕES 2010.

O estudo sobre a presença das mulheres em espaços de decisão é pertinente. Trata-se da oportunidade de mostrar à sociedade as diferenças entre os sexos, a especificidade da condição feminina, o trato desigual e o mote imperativo em avançar nas mudanças na vida das mulheres para conquistarmos condições em igualdade ao parceiro masculino. Iniciei nesse campo ao elaborar a dissertação de mestrado, "Mulher Comerciária e Sindicalismo: relações de gênero, relações de poder (um estudo de caso em Belém do Pará)", concluída em 2008 pela UFPA. Percebi que, mulheres ocupando espaços de poder podem fazer à diferença desde que, articulem as demandas de interesse do conjunto da sociedade aos interesses particulares da instância específica as quais pertencem, elaborando a partir da real situação e pautando os pleitos dos movimentos de mulheres.

Concluo que, "As diferenças entre os gêneros no poder serão notadas quando a sociedade estabelecer parâmetros de equidade entre homens e mulheres". Mulher na política trata-se de um desafio a rotina, aos costumes e à moral burguesa, contudo a presença delas na política contribui para avançar positivamente nas transformações sociais.

Dos os primeiros séculos de vida brasileira, quando a mulher era socializada para o lar, comparado aos dias atuais, conclui-se que importantes mudanças ocorreram. Pode-se afirmar que o Brasil mudou e as mulheres que se colocaram na vida púbica demonstraram capacidade política e elaborativa, exemplos não faltam. Alterações significativas no chão desse imenso país têm ocorrido à condição feminina e todos ganharam. No entanto, ainda têm distinções entre os dois sexos. As mudanças reclamadas urgem por melhorias, e o Brasil tem pressa para se tornar uma sociedade justa construída por homens e mulheres.

Sobre a participação das mulheres nas eleições gerais em 2006 se colocou na disputa eleitoral um total de 2.498 mulheres. Dessas, 1.783 candidatas a deputadas estaduais elegeram-se 123 mulheres para as Assembléias Legislativas, (11,61% de 1.059 cadeiras); em 27 unidades apresentaram-se 26 mulheres a governadoras eleitas 03 (11% de total), inclusive no Estado do Pará; das 513 vagas ao Congresso Nacional de 652 candidatas 46 se elegeram deputadas federais (8,97% da casa); e de 35 candidatas que concorreram ao senado, 04 mulheres eleitas senadoras (14,8% do Senado).

Os dados percentuais obtidos mostram que ainda não estamos representadas em par de igualdades, considerando que somos mais da metade da população e há 78 anos conquistamos o direito de votar e sermos votadas, o futuro nos aguarda. Em 2010 a alteração na lei de cotas, como, ao invés de "reservar" usar o verbo "preencher vagas por sexo" fez aumentar o número de mulheres candidatas. O inédito é que temos reais chances de elegermos a primeira mulher à Presidência da República, Dilma Rousseff. A candidata indicada pelo Presidente Lula é a esperança que o Brasil vai seguir as transformações iniciadas no seu mandato, iniciativas aprovadas pela maioria da população. Além disso, o apoio à Dilma é o reconhecimento da sua capacidade de ação pública demonstrada na sua trajetória política.

De acordo com a Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres alguns fatores têm contribuído para o crescimento da presença das mulheres na política e nas eleições, tais como, a ruptura com elementos da cultura patriarcal que reserva aos homens o espaço público; maior abertura dos partidos políticos à participação feminina e criação de Secretarias de Mulheres nos partidos que promovem a formação política das mulheres e o enfrentamento coletivo do medo do poder; adoção de mecanismos de promoção da participação política das mulheres, a exemplo da adoção das cotas por sexo nas eleições proporcionais e para a composição das instâncias de direção nos partidos políticos e outras instâncias. Observa-se que as mulheres que se colocam na militância política ao desenvolverem a rotina da agenda e firmar compromissos no contato com os eleitores e busca de votos, e no exercício do poder demonstram que a prática política pode ser uma ação gratificante e transformadora da sociedade.

No Pará uma mulher de esquerda, oriunda dos movimentos sociais concorre à reeleição para o Governo do Estado com promessas de acelerar o desenvolvimento. Além de outros feitos, a candidata no atual mandato ressaltou o papel do Estado como planejador das mudanças sociais, implantou medidas para reverter à base produtiva da economia paraense tradicionalmente extrativista, apontando para o beneficiamento de nossas riquezas no próprio Estado, o que levará a abertura de postos de trabalho, emprego e oportunidade de renda. Há muito ainda a praticar e a melhorar nas relações políticas e sociais, mas o atual governo está no rumo certo. Com a reeleição de Ana Júlia e com Dilma dando continuidade ao projeto político de transformações sociais iniciado por Lula, o Pará será bem-sucedido.

Ana Júlia na sua condição de mulher é um tipo feminino celibatário que respeita a sua individualidade, não cede à hipocrisia do gasto manto da virtude que reivindica a propriedade no amor (KOLLONTAI, A., 1982). Por assumir um comportamento libertário na sua vida pessoal, fato permitido aos homens e negado às mulheres, vem sendo sistematicamente atacada pela moral burguesa. A conduta adversária que, já teve sua vez e não mostrou serviço, tem o intuito de segundarizar as mudanças implementadas, transformações que, sem sombra de dúvidas, levam a melhorar a situação da população paraense e valoriza as riquezas locais. Vamos às ruas conquistar votos à reeleição de Ana Júlia para acelerar o desenvolvimento, e ao mesmo tempo, formar opinião pelo respeito à individualidade de todas as mulheres que não renunciam ao sorridente raio da vida mesmo que o seu nome esteja na vida pública.

Outras mulheres se destacam na disputa eleitoral. O PCdoB, em especial, apresenta dezenove mulheres na chapa proporcional e contribui para alavancar transformações tão necessárias à condição feminina. Essas mulheres merecem nosso respeito pela decisão de colocarem seu nome na disputa eleitoral. Iniciativas que sistematizadas contribuem para extrair considerações e melhorar a atuação partidária sobre o ativismo de mulheres políticas que se colocam na luta pela transformação da sociedade, e no caso das comunistas, na perspectiva da conquista do socialismo! Quero coletar dados sobre essa experiência e conto com vocês para continuar refletindo sobre a temática das mulheres em espaços de poder.

Eneida Canêdo Guimarães dos Santos
Mestre em Sociologia
Secretária Estadual de Formação do PCdoB

domingo, 19 de setembro de 2010

O DIA DE HOJE NA HISTÓRIA

16 SETEMBRO

Em 1931 – Nasce em S.Paulo a Frente Negra Brasileira, “pela afirmação dos dirreitos históricos da gente negra”. Expande-se no RJ, PE, BA, MG, RS, edita o jornal “Clarim da Alvorada” e promove manifestações anti-racistas. Fechada pelo golpe de 1937.

Em 1984 – 1ª greve geral dos canavieiros de PE após 64 (240 mil).Em 5/10 30 mil no RN e em 15/10 120 mil na PB segurem exemplo. Renascimento sindical.

17 SETEMBRO

Em 1971 – Após dias de caçada humana no sertão baiano, a repressão encurrala e executa a sangue-frio em Ipupiara o capitão-guerrilheiro Carlos Lamarca e José Campos Barreto, também militante do MR-8.

18 SETEMBRO

Em 1946 – Promulgada a Constituição de 46.

Em 1992 – Atos pró-impeachment de Collor em SP (1,2 milhão), Belo Horizonte, João Pessoa, Natal.

19 SETEMBRO

Em 1835 – Os farrapos (liberais avançados) do RS tomam Porto Alegre. O presidente foge. Inicia-se a fase armada da Revolução Farroupilha, republicana e abolicionista, que resistirá por 10 anos às armas imperiais.

Em 1946 – Congresso de sindicatos funda a CGTB (Confederação Geral dos Trabalhadores do Brasil).

Em 1997 – 7 mil sem terra fazem a maior ocupação do ano, em Itaquiraí, MS.

Veículos a diesel fabricados no Brasil terão aditivo para reduzir poluição

Os veículos com motores a diesel fabricados no Brasil a partir de 2012 terão um aditivo obrigatório para reduzir as emissões de óxido de nitrogênio, informaram nesta segunda-feira (13) fontes oficiais.
O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) assinaram, hoje, o acordo que definirá a produção e importação, comercialização, uso e fiscalização do aditivo “Arla 32″, fabricado a partir de uma solução líquida de ureia.
A tecnologia, que reduzirá em 70% a emissão de óxido de nitrogênio, foi desenvolvida na Europa, onde é aplicada em vários países.
O coordenador de resíduos e emissões do Ibama, Paulo Macedo, disse a jornalistas no Rio de Janeiro que a indústria automobilística se prepara para a chegada da nova tecnologia, que prevê a instalação de um tanque separado para o aditivo para evitar, assim, uma perda de 30% do rendimento do veículo. (Fonte: G)

Emir Sader: os monopólios do dinheiro, da terra e da palavra

Três grandes monopólios articulam as estruturas de poder das minorias na nossa sociedade e tem que ser quebrados, para que possamos seguir avançando na construção de uma sociedade econômica, social, política e culturalmente democrática.O primeiro é o poder do dinheiro, monopolizado nas mãos de algumas instituições financeiras, nacionais e estrangeiras, que se apropriam dele para multiplicar seus lucros especulativos. As altas taxas de juros, o Banco Central independente de fato, contribuem para a manutenção e incremento desse monopólio, ao invés de colocar os recursos financeiros a serviço do desenvolvimento econômico e social de todo o país.O segundo grande monopólio é o da terra, nas mãos de elites minoritárias que a exploram, por exemplo, sob forma de agronegócios de exportação de soja, com transgênicos, concentrando ainda mais a terra em poucas mãos, deteriorando as condições de cultivo, enquanto outros simplesmente mantém latifúndios improdutivos e uma grande massa de trabalhadores continua sem terra e não temos autosuficiência alimentar. É preciso democratizar o acesso à terra, gerar empregos e alimentos para o mercado interno, o que é feito pela pequena e média empresa.O terceiro é o monopólio da palavra, exercido pelas famílias proprietárias da velha imprensa, que dirigem empresas sem nenhuma democracia, financiada pelas agências de publicidade e as grandes empresas que colocam anuncio nesses órgãos.São três grandes monopólios privados, que resistem ao imenso processo de democratização em curso na sociedade brasileira. Esses monopólios têm que ser rompidos, com a democratização do uso dos recursos financeiros, da terra e dos meios de comunicação, para que o Brasil se torne, definitivamente, uma sociedade democrática. (Por Emir Sader, em seu blog)

Ibope: Simão Jatene, 43%; Ana Júlia, 30%

Na segunda rodada da pesquisa do Ibope sobre as intenções de voto para o Governo do Pará, o candidato Simão Jatene (PSDB) permanece na liderança com 43 pontos, contra 30% da candidata Ana Júlia Carepa (PT). Os números são da pesquisa estimulada, onde são apresentados os nomes dos candidatos aos eleitores. Considerando a margem de erro, que é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos, o candidato do PSDB teria hoje entre 40% e 46% da preferência dos eleitores, contra 27% e 33% da petista. O candidato Domingos Juvenil (PMDB) aparece na terceira posição com 7% das intenções de voto. Fernando Carneiro (PSOL) e Cleber Rabelo (PSTU) aparecem com 2% cada. Na primeira pesquisa feita pelo Ibope, divulgada no dia 30 de agosto em O LIBERAL, o tucano tinha os mesmos 43% contra 33% da petista.

Na pesquisa espontânea, quando não são apresentados os nomes dos candidatos ao eleitor, Jatene também leva vantagem sobre os demais, com 35% das intenções de votos, contra 25% da candidata do PT. Domingos Juvenil é lembrado por 5% do eleitores consultados, Rabelo por 2% e Carneiro por 1%. Os votos brancos, nulos ou indecisos somam 32%.

Considerando apenas os votos válidos, ou seja, excluindo as intenções de voto branco, nulo ou eleitores indecisos, o candidato tucano tem 51% das intenções de voto, contra 36% da candidata petista. Juvenil aparece em terceiro lugar com 8% da preferência do eleitorado. Fernando Carneiro e Cleber Rabelo disputam a quarta colocação, ambos com 2%.

Fonte: Site do Jornal O Liberal

sábado, 18 de setembro de 2010

Carreata 6565 invade ruas de Belém

O Partido Comunista do Brasil (PCdoB) realizou na manhã deste sábado (18) a maior carreata no Pará. Era de bicicleta, moto, carro, ônibus, van, não importava o meio de transporte, a militância comunista mostrou nas principais ruas de Belém a força da campanha 6565.

Carreata demonstra a força da campanha 6565 pelas ruas de Belém.

Segundo a secretaria de organização do Partido, dezenas de carros colocaram suas bandeiras e seguiu o trio elétrico que levava Jorge Panzera, deputado federal do PCdoB. No percurso que iniciou na Rua João Paulo II, a população acenava e dava sinal positivo para a vitoriosa campanha 6565 que usa o slogan: Captou?Saindo da Rua João Paulo II a carreta pegou a Travessa Lomas Valentina, e em seguida, a Avenida Pedro Miranda, onde Jorge Panzera discursou para os feirantes e trabalhadores do bairro da Pedreira. Já na Avenida Alcindo Cacela e na Avenida Governador José Malcher a carreata recebeu mais adesões de carros da militância.No seu discurso, Jorge Panzera (6565) frisou a importância de continuar no rumo certo no Brasil, com Dilma presidente, e no Pará com Ana Júlia governadora. Além também de pedir voto para o Senador Paulo Rocha (131), Jorge reafirmou que a Assembléia Legislativa do Pará e Câmara Federal precisam de deputados da esquerda, que verdadeiramente representam o povo.

Rumo à maior feira ao ar livre da América Latina, o Ver o Peso, a carreta seguiu pela Avenida Assis de Vasconcelos, Boulevard Castilho França, e pegou a Avenida 16 de Novembro. No Ver o Peso, a população, os trabalhadores e vendedores ambulantes ouviram as principais propostas do modo de fazer política do PCdoB. Os candidatos a deputado estadual do partido também estiveram na onda vermelha do Partido e compareceram em peso na carreata.

As candidatas: Perpétua, Wanja, Vera, Lia, Branca, Wilma e Eva levaram sua militância para seguir na Avenida 16 de Novembro e posteriormente na Avenida Gentil Bittencourt.A carreata também contou com a força dos candidatos a deputado estadual do PCdoB, que tomaram conta das ruas, os candidatos: Antônio Oliveira, Henos Silva, Everaldo da Comunidade, Apio Sarmento, Jorge Farias, Robson, Ivan Tavares, Paulo Fonteles, Anderson Maia, Amigo Eloi, marcaram presença ou mandaram representantes.Com quase cinco horas de trajeto nas principais ruas de Belém, a carreata 6565 pegou a Rua Castelo Branco, passando pela Rua Silva Castro, José Bonifácio até chegar à Avenida Bernardo Sayão, onde na Praça Princesa Isabel encerrou a maior carreata comunista das eleições 2010.

Isa Arnour

DILMA amplia vantagem segundo pesquisa IBOPE


Mesmo com a tentativa da direita e da mídia de vincular a campanha de Dilma às denúncias na Casa Civíl, a vantagem se amplia, já que Serra cai e a candidata de Lula se mantêm em 51% das intenções de voto, segundo os gráficos ao lado.

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

UAP e CADEO da FACI juntos na defesa dos estudantes!‏

A União Acadêmica Paraense junto com o Centro Acadêmico de Direito da FACI ( Faculdade Ideal), realizaram na noite de terça feira(14) uma grande assembleia que contou com cerca de cem estudantes no auditório da faculdade.

A pauta unica tinha como objetivo mobilizar os estudantes contra o aumento das mensalidades e contra o corte no desconto das mensalidades que era de 15% que fora retirado pela direção sob alegação do alto indice de inadiplência. Porém demonstrado a unidade do movimento estudantil do estado do Pará, foi tomado por concenso o encaminhamento de não retroceder nas conquistas estudantis e a manutenção imediata da porcentagem dos 15% oferecidos ao descontos nas mensalidades.

Para o Presidente da UAP, Pedro Fonteles o movimento tem quer ser parabenizado pela iniciativa da grande mobilização realizada, reafirmando a postura dos estudantes que junto com a UAP serão incansaveis nas lutas por mais politicas voltadas a assistencia estudantil, pela regulamentação do ensino privado e principalmente pela democratização do acesso a universidade brasileira, para que ela seja composta do rico, do pobre, do indio, do negro, das mulheres ou seja de todo o povo.

Visite: uapoficial.blospot.com

Pedro Fonteles
Presidente da União Academica Paraense - UAP

Confiante na vitória, PCdoB reúne sua Comissão Política Nacional

O presidente do PCdoB, Renato Rabelo, ratificou a opinião de que “é forte a tendência de Dilma Rousseff vencer já no primeiro turno a batalha presidencial e de pela primeira vez o governo das forças progressistas alcançar maioria das duas casas congressuais”. Não obstante,o dirigente da legenda comunista observou que seria “grave erro” deixar-se levar pelo triunfalismo e subestimar o inimigo. Por isso, asseverou, “a reta final é um momento de mobilização total de forças para confirmar a vitória”.

Outra ordem de preocupações do dirigente comunista referiu-se ao “rebaixamento político e à despolitização" que se observam em alguns momentos da campanha. De modo preciso, criticou a falta de um documento com compromissos programáticos assinados pela candidata e pelos partidos que a apoiam . O dirigente do PCdoB levantou ainda a necessidade de maior compartilhamento das discussões e decisões no âmbito do comando da campanha.

Ao analisar o quadro político, Rabelo disse que a “oposição se perdeu, pois já entrou estrategicamente derrotada no enfrentamento político. Fez um discurso confuso, com seu candidato dizendo primeiramente que seria a ‘continuidade com maior competência e experiência’ do momento positivo que o Brasil vive. Agora, diante do vertiginoso crescimento de Dilma, partiu para o desespero e tenta unificar suas forças com um discurso oposicionista duro”.

Mídia é o trunfo de Serra

O presidente do Partido Comunista do Brasil chamou a atenção para o papel da Mídia no embate político. “A Mídia é o grande trunfo deles”, assinalou, “é a verdadeira oposição”. Renato relembrou o líder pedetista Lenoel Brizola, que considerava a Mídia como “o verdadeiro partido único das classes dominantes no Brasil”. E enfatizou: “A Mídia fabrica escândalos, inventa calúnias e pratica jogo baixo, cria fatos e os editorializa, pondo-os a serviço da campanha de José Serra".

Cresce a campanha do PCdoB

Renato Rabelo destacou que a campanha do PCdoB tem crescido em todo o país. Referiu-se à força política e popular da campanha de Flávio Dino a governador do Maranhão. Ressaltou as possibilidades de a legenda comunista eleger três senadores - Netinho de Paula (SP), Vanessa Grazziotin (AM) e Edvaldo Magalhães (AC). Pelas dimensões da disputa político-eleitoral em São Paulo e as repercussões que tem nacionalmente, orientou: “A eleição de Netinho passa a ser, nas atuais circunstâncias, a prioridade número um do PCdoB nestas eleições”. O presidente destacou ainda que o Partido pode obter grandes êxitos na luta para eleger mais de 15 deputados federais e fez um apelo por mais mobilização da militância, criticando o método corrente nas disputas eleitorais brasileiras de “contratar cabos eleitorais pagos”.


O povo quer votar no avanço

O ministro do Esporte, Orlando Silva, que tem viajado o país de norte a sul participando da campanha eleitoral na vastidão do território nacional, declarou ao Vermelho que cada vez mais aumenta sua percepção da tendência de aumento do número de votos e de eleitos do PCdoB, cuja militância está motivada nas ruas, no corpo-a-corpo com o eleitorado.

Quanto à disputa presidencial, Orlando disse que “o povo vai se posicionando em função das conquistas que obteve. Eleição – acentuou Orlando - é escolha entre avançar nas conquistas ou retroceder à situação anterior, que é sinônimo de atraso”.

João Batista Lemos, secretário sindical do partido, enalteceu o papel dos movimentos populares na luta político-eleitoral e manifestou sua preocupação para um fenômeno que poderia comprometer o êxito do futuro governo - fragilidade das formulações programáticas e aumento do peso das forças de centro na ampla aliança que levará Dilma à vitória. “Que programa, que aliança vão nortear e dirigir a nova maioria política?”, indagou.

Abraçar a vitória

Inácio Arruda, senador comunista pelo Ceará, não esconde seu otimismo em conversa com a redação do Vermelho: “Temos todas as condições de ultrapassar a marca dos 20 deputados federais, porque temos bons candidatos e o povo é receptivo à nossa mensagem”. Seria também uma “vitória retumbante se elegêssemos três senadores. Inácio também considera o papel da eleição de um senador por São Paulo e a influência que isto pode ter no desempenho eleitoral nacional do PCdoB. “A eleição de Netinho de Paula em São Paulo terá repercussão enorme em todo o Brasil”, enfatizou.

O senador comunista cearense avaliou a campanha presidencial e disse que Dilma está surpreendendo positivamente: “O povo já percebe as suas capacidades. Ela não é vista apenas, como antes, como a candidata do Lula, mas como alguém que tem perfil próprio e está preparada para ser presidente”.

Relembrando a experiência da grande batalha popular que foi sua eleição para o Senado em 2006, Arruda disse que a lição mais importante que extraiu foi a “mobilização do povo”. “Dilma e todos os nossos candidatos têm que fazer um vivo chamamento ao povo para que este abrace a campanha para depois abraçar a vitória”.

O secretário de Comunicação do PCdoB, José Reinaldo Carvalho, declarou à reportagem do Vermelho”: “A eleição da Dilma e o crescimento da votação e do número de eleitos do PCdoB são dois objetivos para cuja realização a militância e os quadros devem mobilizar todas as suas energias. Estamos lutando para construir um país progressista que desempenhe papel na luta anti-imperialista e promova o desenvolvimento com justiça social. Política e organicamente estamos empenhados no reforço da esquerda e, nesse âmbito, do nosso PCdoB, para dar passos na consolidação do partido como uma força ligada às massas e capacitado para mobilizar o povo brasileiro nas pequenas e grandes lutas políticas e sociais por transformações estruturais e pelo socialismo em nosso país”.

Da Redação

Vermelho

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Carreata Militante Vermelha PCdoB

Camaradas,


Nosso Candidato a Deputado Federal Jorge Panzera 6565 está decolando nas pesquisas e é por causa de VOCÊS que estão sempre juntos e confiando na vitória do nosso Federal e dos nossos Candidatos(as) Deputados(as) Estaduais que iremos realizar a MAIOR Carreata do PCdoB/6565 da nossa História no Pará para mostrar toda nossa força e garantir nossa vitória nas Eleições.

Dia:18/09/2010 (Sábado)

Horário: 8 horas

Local de concentração: 1º de Dezembro com Dr.Freitas


Percurso: 1º de Dezembro >>> Lomas Valentinas >>> Pedro Miranda >>> Alcindo Cacela >>> José Malcher >>> Assis de Vasconcelos >>> Castilho França >>> Ver-o-peso >>> Tamandaré >>> Gentil Bittencourt >>> Castelo Branco >>> Silva Castro >>> José Bonifácio >>> Bernardo Sayão >>> Ternima na Praça Princesa Isabel.


VAMOS JUNTOS À VITÓRIA!!!



CAPTOU?
Maiores informações no E-mail da Camarada Eneida:eneidacguimaraes@yahoo.com.br

Imagens engraçadas


Eleições - Datafolha: probabilidade maior de vitória no primeiro turno

Eleições 2010 - Pesquisa Datafolha divulgada hoje mostra que a candidata Dilma Rousseff continua subindo e passou de 50% para 51% das intenções de voto no primeiro turno. Levando em conta apenas os votos válidos (sem os brancos e os nulos), ela teria hoje 57% da preferência dos eleitores e venceria a eleição já em 3 de outubro.

O levantamento foi realizado nesta semana, entre os dias 13 a 15. Foram consultadas 11.784 pessoas. A margem de erro máxima é de dois pontos, para mais ou para menos.

Enquanto Dilma sobe,, os demais adversários ficaram estagnados.

"José Serra (PSDB) ficou exatamente como há uma semana, com 27%. Marina Silva (PV) também repetiu sua taxa de 11%. Em votos válidos, o tucano tem 30%. A verde fica com 12%. Há 4% que dizem votar em branco, nulo ou nenhum. Outros 7% se declaram indecisos", diz a reportagem do jornal Folha de S. Paulo.

Fonte: dilma13.com.br

Encontro da Diversidade Cultural festeja a harmonia da diferença

O Encontro da Diversidade - A Independência da Cultura, aconteceu em 4 de setembro, nos Arcos da Lapa (RJ), e reuniu milhares de pessoas para celebrar a mistura cultural do país. Participaram diversos segmentos culturais: índios, quilombolas, ciganos, representantes de religiões de matriz africana, LGBT, mestres de folguedos, imigrantes, pessoas portadores de necessidades especiais, trabalhadores urbanos e rurais. É a harmonia na diferença.


Promovido pelo Ministério da Cultura, por meio da Secretaria da Identidade e da Diversidade Cultural, em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura do Rio de Janeiro, o encontro também promoveu a 1ª Reunião Técnica do Mercosul sobre a Diversidade Cultural.

Participaram da "Chegança Diversa" - nome dado à abertura do evento - o Frevo de Olinda, o Mamulengo Só Riso e o Maracatu Piaba de Ouro, ambos de Pernambuco; os blocos Tá Pirando Pirado Pirou, Treme Terra e LGBT, do Rio de Janeiro; Bumba Meu Boi de Maracanã, do Maranhão; Grupo de Fandango Mandicuera, do Paraná; Nelson Triunfo e Jongo de Piquete, de São Paulo; Os Quentes da Madrugada, grupo de carimbó do Pará; e a Banda Caxiri na Cuia, que traz o forró indígena de Roraima, e outros.

Fonte: da redação, com informações do Ministério da Cultura.

UFPA é a principal instituição de pós-graduação do norte do País

A Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) divulgou nesta terça-feira, 14, o resultado da avaliação trienal dos cursos de pós-graduação brasileiros. 2.718 programas de mestrado e doutorado foram avaliados em relação ao desempenho entre os anos de 2007 e 2009. O Programa de Pós-Graduação em Geologia e Geoquímica da Universidade Federal do Pará recebeu nota seis, a melhor nota concedida a uma instituição do norte do País.

Na avaliação, cada curso recebeu notas de 1 a 7. “A nota 3 significa um desempenho regular, a 4 é considerada como bom resultado e a 5 é atribuída ao programa que atinge ‘muito bom nível’. As notas 6 e 7 indicam desempenho equivalente ‘ao alto padrão internacional’”, aponta o relatório da CAPES. Dos 41 cursos de mestrado e doutorado da UFPA avaliados, 48,88% obtiveram notas 4, 5 e 6. Segundo o documento, do total de cursos avaliados no País, 33,6% receberam nota 4; 20,6% obtiveram nota 5 e apenas 6,8% conquistaram nota 6, enquanto outros 4,1% alcançaram a nota 7.

Além de receber a nota máxima atribuída a um curso stricto sensu no Norte, a UFPA concentra 66,67% de todos os cursos que receberam nota 5, e 41,66% dos que receberam nota 4 entre os sete Estados da região, sendo que a Instituição é a responsável por 50% dos cursos de doutorado, 36,45% dos cursos de mestrado e 35,96% do total de cursos de pós-graduação existentes no Norte.

De acordo com a CAPES, o norte do País apresentou o maior crescimento percentual na oferta de cursos entre 2007 e 2009, subindo de 116 para 157 mestrados e doutorados. Por sua vez, a UFPA também ampliou o número de programas de pós-graduação existentes. Em 2008, a Universidade possuía 41 programas de pós-graduação, com 40 cursos de mestrado, 18 de doutorado e, aproximadamente, 2.250 alunos matriculados. Dois anos depois, a Instituição reúne 44 programas, sendo 42 de mestrado e 22 de doutorado, nos quais estão, aproximadamente, 4.977 pós-graduandos. O que representa um aumento de 10% de cursos ofertados na pós-graduação e um incremento de 121% no número de estudantes matriculados.

Reservas internacionais atingem R$ 457,8 bi e batem recorde

Entre quinta-feira da semana passada e terça-feira (14), país acumulou R$ 4,8 bilhões.

O aumento das reservas internacionais do Brasil em R$ 4,8 bilhões (US$ 2,8 bilhões), entre quinta-feira da semana passada e esta terça-feira (14), indica uma intervenção mais forte do Banco Central por meio dos leilões de compra da moeda norte-americana no mercado à vista com o objetivo de deter a valorização do real frente ao dólar.

Nesta terça-feira, as reservas internacionais estavam no patamar recorde de R$ 457,8 bilhões (US$ 265,139 bilhões). Nesse dia, foram incorporados os dólares comprados em leilão na sexta-feira, com liquidação em dois dias úteis.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Para refletir: VOTO: DIREITO OU DEVER?

A cada tanto tempo, o tema reaparece: como o voto, de um direito se transformou em um dever? Reaparecem as vozes favoráveis ao voto facultativo.
A revista inglesa The Economist chegou, em artigo recente, a atribuir à obrigatoriedade do voto, as desgraças do liberalismo. Partindo do supostos – equivocado – de que os dois principais candidatos à presidência do Brasil seriam estatistas e antiliberais, a revista diz que ao ser obrigado a votar, o povo vota a favor de mais Estado, porque é quem lhe garante direitos.
Para tomar logo um caso concreto de referência, nos Estados Unidos as eleições se realizam na primeira terça-feira de novembro, dia de trabalho – dia “útil”, se costuma dizer, como se o lazer, o descanso, foram inúteis, denominação dada pelos empregadores, está claro -, sem que sequer exista licença para ira votar, dado que o voto é facultativo. O resultado é que votam os de sempre, que costumam dar maioria aos republicanos, aos grupos mais informados, mais organizados, elegendo-se o presidente do pais que mais tem influência no mundo, por uma minoria de norteamericanos. Costumam não votar, justamente os que mais precisam lutar por seus direitos, os mais marginalizados: os negros, os de origem latinoamericana, os idosos, os pobres, facilitando o caráter elitista do sistema político norteamericano e do poder nos EUA.
O voto obrigatório faz com que, pelo menos uma vez a cada dois anos, todos sejam obrigados a interessar-se pelos destinos do país, do estado, da cidade, e sejam convocados a participar da decisão sobre quem deve dirigir a sociedade e com que orientação. Isso é odiado pelas elites tradicionais, acostumadas a se apropriar do poder de forma monopolista, a quem o voto popular “incomoda”, os obriga a ser referendados pelo povo, a quem nunca tomam como referência ao longo de todos os seus mandatos.
Desesperados por serem sempre derrotados por Getúlio, que era depositário da grande maioria do voto popular, a direita da época – a UDN – chegou a propugnar o voto qualitativo, com o argumento de que o voto de um médico ou em engenheiro – na época, sinônimos da classe média branca do centro-sul do país – tivesse uma ponderação maior do que o voto de um operário – referência de alguém do povo na época.
O voto obrigatório é uma garantia da participação popular mínima no sistema político brasileiro, para se contrapor aos mecanismos elitistas das outras instâncias do poder no Brasil. (Blog do Emir Sader )

"Só vendo": elogio ao Pará de ZUENIR VENTURA

“Acostumados com o clichê preconceituoso que acredita não haver vida inteligente fora do eixo Rio-São Paulo, nos surpreendemos quando encontramos alguma atividade cultural em cidades do chamado "interior" — o "centro" somos nós, claro. Por exemplo: onde é possível reunir cerca de 650 mil pessoas, um terço dos moradores, para tratar de um assunto meio fora de moda, a leitura? Pois acabo de ver o fenômeno em Belém, na XIV Feira Pan-Amazônica do Livro, um dos três principais eventos do gênero no Brasil, este ano dedicada à África de fala portuguesa. Houve shows com Gilberto Gil, Lenine, Emílio Santiago, Luiza Possi, mas o destaque foram os R$30 milhões faturados com a venda de 500 mil volumes, superando, segundo os organizadores, a Bienal do Rio.
Há cidades brasileiras que só vendo. A capital do Pará é uma delas. Além de ser uma das mais hospitaleiras do país, gosta de seu passado e é hoje um exemplo de como revitalizá-lo ...”

terça-feira, 14 de setembro de 2010

CURIOSIDADE: ABÓBORA GIGANTE NA ALEMANHA


O jardineiro amador Langheim Oliver e sua filha Celina posam ao lado de uma abóbora gigante em Fuerstenwalde, na Alemanha. A fruta pesa 324 kg e a cada dia ganha 5 kg

CONVOCATÓRIA DE PLENÁRIA SINDICAL DO PCdoB

Convocamos os/as militantes trabalhadores/as, os/as dirigentes sindicais para reunião plenária da Secretaria Sindical Estadual do PCdoB/Pará, para:

Data:17/09/2010 (sexta-feira)
Horário: 18h30min
Local: Sede do PCdoB, Avenida Conselheiro Furtado nº. 2275, entre Alcindo Cacela e 14 de Março.
Pauta: Balanço, orientações e definições para os/as trabalhadores/as nessa fase final de campanha do PCdoB no Pará.

Mobilizem todos e todas para a reunião plenária, rumo a vitória do projeto eleitoral do PCdoB/Pará.

CONVERSA ENTRE DUAS MORTAS...

- Morri congelada.
- Ai que horror !!! Deve ter sido horrível ! Como é morrer congelada ?
- Bom, no começo é muito ruim: primeiro são os arrepios, depois as dores nos dedos das mãos e dos pés, tudo congelando.. . Mas, depois veio um sono muito forte e eu perdi a consciência.
E você, como morreu?
- Eu ?????? Morri de ataque cardíaco. Eu estava desconfiada que meu marido estava me traindo. Então, um dia cheguei em casa mais cedo, corri até ao quarto e ele estava na cama, calmamente assistindo televisão. Ainda desconfiada, corri até o porão para ver se encontrava alguma mulher escondida, mas não encontrei ninguém.
Depois, corri até o segundo andar, mas também não vi ninguém.
Então, subi até o sótão e, ao subir as escadas, esbaforida, tive um
ataque cardíaco e caí morta.
- Puxa, que pena... Se você tivesse procurado no freezer, nós duas estaríamos Vivas !

Campanha: Carreata Militante Vermelha PCdoB

Venha participar da Grande Carreata da vitória da Eleição do nosso candidato Jorge Panzera 6565 - Deputado Federal e dos nossos candidatos a Deputados Estaduais que se realizará:

Dia:18/09/2010 (Sábado)

Horário: 8 horas

Local de concentração: 1º de Dezembro com Dr.Freitas

Dilma cresce, vai a 50,5% e seria eleita no 1º turno, diz Sensus

A candidata à Presidência Dilma Rousseff, da coligação Para o Brasil Seguir Mudando, ampliou para 24,1 pontos percentuais sua vantagem sobre o presidenciável demo-tucano, José Serra (PSDB) e consolidou a possibilidade de ser eleita no primeiro turno. É o que revela pesquisa do instituto Sensus divulgada nesta terça-feira (14).
Segundo o levantamento, encomendado pela Confederação Nacional do Transporte (CNT), Dilma tem 50,5% das intenções de voto, enquanto Serra aparece com 26,4%, e Marina Silva (PV), com 8,9%. Os demais candidatos não chegaram a 1%. Votos nulos ou não souberam responder representa 12,6 %.

Neste levantamento foram considerados todos os candidatos que disputam a sucessão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Se as eleições fossem hoje, Dilma venceria no primeiro turno. O Sensus realizou 2 mil entrevistas, de 10 a 12 de setembro, em 136 municípios de 24 estados. Na pesquisa Sensus anterior, de 24 de agosto, Dilma tinha 46% das intenções de voto, enquanto Serra aparecia com 28,1% e Marina Silva (PV), com 8,1%.

Já na nova pesquisa espontânea (em que não é apresentado o nome do candidato), Dilma tem 44,3 %, Serra 23%, Marina 7,1 %. Na última pesquisa o quadro apontava Dilma com 37,2%; José Serra 21,2% e Marina Silva 6%.

Em um cenário de segundo turno, a pesquisa da CNT/Sensus aponta Dilma com 55,5 %, Serra com 32,9%. Marina apresenta o maior índice de rejeição, com 45% — seguida de Serra com 41,3% e Dilma 29,4%. A margem de erro da pesquisa é de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos.

De acordo com o levantamento, o governo Lula apresenta uma avaliação positiva de 78,4% e negativa de 3,9%. A aprovação pessoal de Lula é de 81,4%. Os eleitores que desaprovam Lula representam 12,2%.

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

CONVOCATÓRIA GERAL PRA NÃO DEIXAR O PARÁ RETROCEDER

Vamos fazer twittaço pelos nossos candidatos: Ana, cá - Dilma lá!

Avisa a garotada de primeiro voto para seguir twitteiros da terceira idade... velhos e moços entre 16 e 18 anos de idade formam o CONTIGENTE DE VOTO FACULTATIVO... Além dos twitteiros, os blogueiro, orkuteiros e outros eiros.

SIM, NÓS PODEMOS decidir a parada e fazer o Pará Acelerar, entre 2011 e 2014.

VOTO ÚTIL JÁ!!!
(De José Varella)

Começa jornada mundial pela libertação de antiterroristas cubanos

Este é o grito que percorre o mundo, quando se completam 12 anos da prisão dos cinco antiterroristas cubanos, prisioneiros políticos nos Estados Unidos, e se inicia mais uma jornada mundial pela sua libertação. Vozes de todo o mundo se levantam contra mais esta injustiça do Imperialismo Norte-Americano que Invade países e massacra povos em nome dos “direitos humanos” e cometem crimes contra os direitos humanos em seu país.

O PC do B e as eleições

Leninismo e algumas questões teóricas

Nestes tempos de eleições, não custa nada refletirmos sobre algumas questões levantadas e refletidas por Lênin, em duas de suas obras clássicas: Os comunistas e as eleições e Que Fazer ? evidentemente levando-se em conta as respectivas diferenças históricas e particulares; entre o Brasil atual e a Rússia revolucionária de 1917.

Trata-se mais, de como Lênin, refletirmos a importância das questões sobre a democracia, o partido, o parlamento, a agitação e propaganda, a comunicação e as questões táticas e estratégicas.

PC do B: Evolução tática e as eleições de 2010

O processo que culminou no 12º congresso do partido e que deliberou um conjunto de documentos, entre eles o Novo Programa Socialista e a Política de organização e de quadros; iniciou um pouco antes do congresso. Em 2007, o partido definiu-se pela criação da CTB, do fortalecimento da Unegro e do movimento LGBT. A seguir o partido aponta para a necessidade de uma tática eleitoral mais afirmativa e ousada para as eleições de 2008. Aliado a isto, o partido destaca a necessidade de intensificar o acúmulo de forças em três frentes de forma coordenada juntando a luta política/institucional com as lutas sociais e no campo das ideias. Ainda neste período, o partido levanta a necessidade das seis reformas para o país.

Nestas eleições, o país e o partido partem para uma nova etapa que é a necessidade de o nosso país não retroagir, de seguir adiante com o ciclo aberto com Lula e todos os governos do campo aliado. É chegado o momento da nação avançar para um novo projeto nacional de desenvolvimento, é disto que se trata a presente campanha eleitoral; abrir caminho para efetivação de um novo projeto nacional de desenvolvimento e este é justamente o centro do atual programa e da tática do nosso partido.


Eleição: Votos e hegemonia de ideias

Chegamos a um momento importante da vida nacional, o instante em que toda a sociedade passa a respirar política. Um período em que esta sociedade, passa a refletir sobre os destinos de cada estado e do próprio país pelos próximos quatro anos. A dinâmica e o chamado estado de espírito das amplas massas, nestes tempos, obedece a uma escala crescente de mobilização, interesse e participação. Este processo culminará nas eleições de 3 de outubro. Esta grande batalha nos remete à diversas questões de máxima importância, a necessidade de discutirmos a política em âmbito nacional e local; de respirarmos política até o final desta batalha; de entendermos de que esta batalha é crucial para os destinos da nação e que confronta dois campos antagônicos; de compreendermos que precisamos correr e conquistar a hegemonia de votos.

Simplória e objetivamente, eleição é a batalha da conquista dos votos; mas na verdade trata-se de bem mais que isto. Trata-se de conquistar mente e corações, de apresentar propostas e confrontar projetos e visões de mundo. É preciso esclarecer os eleitores (as ) da justeza de nossas propostas e ideias e fundamentalmente neste processo ajudar a sociedade a elevar sua consciência e nível de mobilização e organização para as grandes e as pequenas questões.

Mas chegar ao eleitorado e conquistar sua confiança e seu voto, requer um conjunto de medidas e ações nesta batalha pelos votos. Nesta corrida em busca dos valiosos votos, é necessário organização, agitação política, apresentação de propostas e lutar por uma hegemonia no campo das ideias. A luta pela hegemonia dos votos se dá em planos diferentes; a hegemonia nas majoritárias e nas proporcionais. Em síntese, a vitória eleitoral é resultado de uma vitória das idéias hegemônicas respectivamente no plano majoritário e no proporcional.

Dilma e uma institucionalidade de Esquerda e Progressista

A eleição de Dilma, combinada com a de governantes estaduais de esquerda e progressistas e de um considerável crescimento parlamentar destes setores nas assembleias legislativas e no congresso nacional será de fundamental importância. Elevará sobremaneira o acúmulo de forças na frente político/institucional, facilitando a transição ao socialismo e as grandes transformações que a nação necessita. Devemos nos empenhar nas eleições, sem perder de vista o centro de nosso programa socialista e nossa tática. E isto significa, não perder de vista o acúmulo de forças político/institucional e a questão tática da transição ao socialismo; materializada em um novo projeto nacional de desenvolvimento. Por isso, a importância da unidade e crescimento da esquerda e setores progressistas nos governos centrais e no parlamento.

A implementação de políticas estruturantes e transformadoras exige aumento do acúmulo de forças. A transição ao socialismo na realidade brasileira, implica na unidade de um amplo campo de forças políticos sociais e de forte presença na esfera institucional; hegemonizadas pela esquerda e campo progressista. Nestas condições, ficam viabilizadas as grandes transformações e a transição ao socialismo. Nosso projeto para a nação, passa por um novo projeto nacional de desenvolvimento é este o caminho para o socialismo em nosso país. Não podemos perder de vista que estas eleições estão a serviço da nossa tática e não o inverso.

Eleições: A centralidade da Comunicação e da Propaganda

Evidentemente, neste momento de crescimento e aquecimento da campanha eleitoral, duas secretarias ganham momentaneamente especial centralidade e relevância; estamos falando das secretarias de comunicação e propaganda.

Agora a sociedade respira eleição, e com a campanha no rádio e na TV mais ainda. A campanha eleitoral é um rio caudaloso, que arrasta para seu centro os esforços de comunicação e propaganda e busca pelos votos.

As demais secretaria devem seguir este curso natural das eleições, fugir disto é estar fora da cena real dos acontecimentos. É preciso discutir política, eleição, candidaturas, plataformas, o Brasil o Pará. É preciso confrontar projetos, discutir a realidade presente, futura e passada; é este leito que toda secretaria e coordenação de campanha deve seguir nesta batalha eleitoral.

Por exemplo, não há melhor momento que este para determinadas secretarias adequarem sua ações a este momento. Não é afinal um ótimo momento para a secretaria de movimentos sociais debater sobre os movimentos populares antes e depois da era Lula ? debater sobre o futuro dos movimentos populares ante a possibilidade de vitória das forças de esquerda e progressistas ! Debater o novo projeto nacional de desenvolvimento; debater sobre as propostas das candidaturas comunistas e progressistas !

Eis sumariamente, algumas questões para serem apreciadas pelo coletivo militante do PC do B. Para nós, ótima campanha e vamos ao voto.

Enviado pelo camarada Lázaro Ferreira Rodrigues
Militante do Partido Comunista do Brasil e Designer Gráfico