sexta-feira, 30 de abril de 2010

Funcionários da saúde denunciam privatização do SAMU

Diia 29, após o encerramento da sessão ordinária, dezenas de servidores do serviço de saúde do Município, foram recebidos pelos vereadores Carlos Augusto(Dem), Fernando Dourado (Dem ), Marquinho (PT) e Miguel Rodrigues (PRB) e Adalberto Aguiar ( PT), oportunidade em que denunciaram o Prefeito Duciomar Costa, que segundo eles estaria privatizando o setor de saúde do Município. A privatização já estraia em curso e teria começado pelos: postos de saúde, prontos socorros e Samu.
Deixando a galeria os manifestantes foram ouvidos no plenário onde reforçaram as denúncias aos vereadores e confirmaram que nos Prontos Socorros empresas privadas já estão atuando sem licitação, principalmente no fornecimento de alimentação e manutenção de veículos, e que todas são ligadas ao sobrinho prefeito Saulo Costa. Nos postos de saúde do Mosqueiro, Outeiro e Cotijuba, segundo os denunciantes, servidores já estão sendo colocados à disposição da Sesma ou de outros órgãos, justamente porque que o laboratório Edson Ibrahim já está efetivamente gerenciando todo o serviço laboratorial dessas unidades.
O sucateamento dos equipamentos do Samu foi um dos pontos apresentados pelos servidores. Segundo eles, todo mês o governo federal repassa cerca de 600 mil reais para o serviço, contudo não se conhece o destino da verba. A falta de transparência no setor de saúde, afirmam os servidores, é um dos principais obstáculos para que se faça um diagnóstico preciso da situação.
Fonte: site da Câmara de Vereadores de Belém

À beira do fascismo

Por Vinicius Souza da Revista Fórum

Há tempos imagina-se que haveria uma coordenação ligada às oposições por trás da estratégia unificada de assassinatos de reputação, calúnias e difamações na internet, além da tentativa em todas as mídias de colar na pré-candidata ao Planalto pelo PT, a ex-ministra Dilma Rousseff, a pecha de mentirosa. Nos blogs de vários jornalistas, especulava-se sobre a possibilidade do tesoureiro nacional do PSDB e homem forte do pré-candidato José Serra, Eduardo Graeff, ter alguma participação importante nesse esquema, já que seu nome aparecia como seguidor em vários dos mais radicais tuiteiros da baixaria. Além de membro do partido, ele é conselheiro do Instituto Social Democrata, entidade fundada pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e que acolhe grande parte da cúpula do tucanato.

Ontem (28), entretanto, o deputado federal pelo PDT do Rio, Brizola Neto, divulgou em seu blog (www.tijolaco.com.br), levou à tribuna da Câmara dos Deputados em Brasília e entregou ao líder do PT na Casa, deputado José Genoíno, as provas de registro dos domínios www.petralhas.com.br , feito pessoalmente por Graeff em nome do IDS, e do www.gentequemente.org.br , de propriedade do PSDB. O primeiro endereço, apesar de inativo, remete ao título de um livro do virulento opositor do governo Lula e blogueiro oficial da revista Veja, Reinaldo Azevedo. Já o segundo, está alinhado ao discurso iniciado pelo senador José Agripino Maia (DEM RN), quando acusou Dilma de ter mentido sob tortura, e seguido insistentemente por veículos como Folha de S. Paulo e O Globo na repercussão do nunca provado encontro entre a ex-ministra e ex-secretária da Receita Federal Lina Vieira. O Gente que mente, aliás, tem um link no site oficial do PSDB (www.psdb.org.br).

Em entrevista exclusiva ao site da revista Fórum, Brizola Neto afirma que a ação da oposição beira o fascismo e que se as forças progressistas não tomarem rapidamente uma atitude mais firme, a tendência é a baixaria tomar o lugar do debate político. “Quando um partido político usa a instituição para a criação de um domínio ponto org na internet para acusar o governo de mentiroso e um deputado como José Carlos Aleluia (DEM-BA) publica em seu site oficial um texto difamatório contra uma candidata e o atribui falsamente a uma jornalista renomada, estamos à beira do fascismo”, diz. “Somente a certeza da impunidade da mídia e a total perda da capacidade para o debate político e o confronto de ideias por parte das oposições, sem coragem para atacar diretamente um governo com grande apoio popular, podem justificar atitudes assim”.

Para Brizola Neto, é incompreensível a letargia do PT em responder à altura e levar à justiça representações contra crimes tipificados no código penal, como a divulgação de pesquisas eleitorais fraudadas, como o caso das mudanças nos percentuais do IBGE pelo Datafolha denunciadas recentemente, calúnia, injúria e difamação. “O problema maior é que se for acumulado um passivo de demandas muito grande, vai ficar cada vez mais difícil reverter essa situação e as versões podem valer mais que os fatos”, analisa. “Felizmente hoje temos ferramentas na internet para descobrir, desmentir e divulgar essas falcatruas, muitas vezes obrigando a grande mídia a reconhecer seus ‘erros’, mas seria necessário uma coordenação melhor desse verdadeiro exército de cidadãos dos quais eu me orgulho de fazer parte”.

Inpe confirma queda recorde no desmatamento

O Inpe (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) divulgou na quinta-feira (29) os dados consolidados do Prodes, o sistema que mede a taxa oficial de desmatamento. Entre agosto de 2008 e julho de 2009, a Amazônia perdeu 7.464 quilômetros quadrados de floresta, o equivalente a cinco municípios de São Paulo. Mesmo assim, esta é a taxa de desmatamento mais baixa já registrada desde que o país começou a monitorar a Amazônia com imagens de satélite, em 1988.
Trata-se de uma queda de 42% em relação ao biênio anterior (o “ano fiscal” do desmatamento é sempre medido de agosto a julho do ano seguinte).
A queda mais expressiva (68%) foi observada em Mato Grosso, Estado do “ex-estuprador da floresta” e hoje neoambientalista Blairo Maggi. No Pará da petista Ana Júlia Carepa, o desmate caiu 24%. Ainda assim, é o mais alto da Amazônia, concentrando quase 60% de todas as derrubadas da região. A destruição acompanha o eixo da BR-163, onde o governo relaxou a vigilância após a interdição, em 2005, de 8 milhões de hectares para criação de unidades de conservação

Algumas fotos

quinta-feira, 29 de abril de 2010

STF retoma julgamento da Lei da Anistia

O Supremo Tribunal Federal (STF) retomou na tarde desta quinta-feira o julgamento da ação que contesta a Lei da Anistia. A sessão recomeçou com o voto da ministra Cármen Lúcia e, além dela, outros sete ministros devem votar. As exceções são os ministros Joaquim Barbosa, que está de licença, e o ministro Dias Toffoli, impedido de participar do julgamento por ter emitido parecer pela manutenção da lei quando era advogado-geral da União.

A análise do caso teve início ontem, com o voto do relator, ministro Eros Grau, pela improcedência da ação apresentada pela Ordem dos Advogados do Brasil. A entidade defende uma interpretação mais clara do artigo 1º da Lei 6.683/1979 no que se refere ao perdão a crimes conexos "de qualquer natureza" quando relacionados aos crimes políticos. A OAB requer punição aos agentes do Estado acusados de cometer crime de tortura durante o regime militar.

Para o relator, contudo, não cabe à Corte fazer alterações na Lei de Anistia, apenas interpretá-la. Apenas o Legislativo poderia dar outra redação ao texto. "Ao Supremo Tribunal Federal não incumbe legislar", disse em seu voto.

O julgamento da Corte ocorre em um momento em que o assunto é motivo de polêmica e divergência entre ministérios. Ontem, o advogado-geral da União, Luís Inácio Adams, ressaltou a importância de se considerar o contexto histórico e as negociações que viabilizaram a aprovação da lei. Ele destacou, inclusive, que a própria OAB participou das discussões.

O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, apresentou a mesma linha de defesa da manutenção da lei, ao dizer que acatar sua validade "não significa apagar o passado".

Advogados de entidades que defendem alterações na lei também se manifestaram. O jurista Fábio Konder Comparato falou pela OAB: "É lícito e honesto que governantes e seus comandados que tenham cometido crimes de profunda violência possam garantir sua impunidade mediante uma lei votada por um Congresso submisso?", questionou.


Portal Terra

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Agenda de Eventos - Programa Nacional de Direitos Humanos


Clique Para Ampliar.
Do blog: Não percam esta agenda . Alan Pereira

Neste Sábado todos ao 1º de Maio

Marcão Fonteles, Presidente da CTB, e demais dirigentes de Centrais Sindicais recebidos ontem pela Governadora Ana Júlia Carepa
O 1º de maio é um dia de luta para todos os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil.
Convocamos todos os militantes, dirigentes, amigos e simpatizantes do Partido Comunista do Brasil, para participarem ativamente do Ato do 1º de Maio.
Dia :1º de Maio (Sábado)
Hora: 09 horas.
Local: Ato Político na Praça do Operário em seguida passeata até a Praça da República (Com o show de Viviane Batidão)

PS: Vamos todos com camisas do Partido ou CTB/UJS/UNE/UBM/UBES/UNEGRO/UNE/UMES.
Da redação Mario Hesketh

Serra repete discurso pró-ALCA da campanha de Alckmin

Ao caracterizar Mercosul como uma "farsa" e defender a "flexibilização" do bloco, o ex-governador José Serra repete discurso usado na campanha de Geraldo Alckmin em 2006. Menor peso para o Mercosul e retomada das negociações para uma Área de Livre Comércio nas Américas fazem parte da agenda política do PSDB. Senador tucano chegou a prever que "ALCA sairia com ou sem o Brasil". E o governador mineiro Aécio Neves enviou carta ao presidente Lula, em 2003, propondo que Belo Horizonte fosse a sede da ALCA.
Marco Aurélio Weissheimer

Novas Ideias para um Novo Mundo


terça-feira, 27 de abril de 2010

Diretores da Comteto são absolvido de crime contra a economia popular

Leila Mourão, veterana militante do PCdoB e Presidente da COMTETO desde 1997
Nesta segunda feira, dia 26 de abril, a Juíza Maria Edwiges, da vara dos Crimes do Consumidor, prolatou sentença de mérito, inocentando os diretores da Comteto - Cooperativa Habitacional de Belém, Leila Mourão, Carlos Machado e João Carlos Castro dos crimes contra a economia popular na gestão da Cooperativa. As acusações foram fruto da luta política travada desde 2002, pelo controle da direção da associação durante as prestação de contas nas assembléias gerais, que mesmo aprovadas, eram questionadas por membros do conselho fiscal sob falsos fundamentos.

De acordo com o advogado Mario Hesketh, o processo teve vário desdobramentos, ao ponto de uma das testemunhas, Roberto Martins, à época o Secretário de Justiça, ter que ser ouvido por força de habeas corpus, concedido pelo Tribunal de Justiça. Tivemos vitórias também no Superior Tribunal de Justiça em Brasília. "A denúncia não era técnica, não tinha fundamento, as contas haviam sido aprovadas, e se tratava de uma disputa polítiva", afirmou o advogado, que agora prepara as ações de perdas e danos.

Patrimônio da Comteto vale mais de R$ 30 milhoes

O patrimônio da Cooperativa Habitacional de Belém - COMTETO, é um dos mais privilegiados quem existem em Belém. São três empreendimentos: um localizado no bairro do Ttapanã, outro no bairro do Tenoné que foi objeto do programa Crédito Solidário do Ministério das Cidades. E por fim o imóvel localizado na Rodovia Augusto Montenegro, o Bairro Bosque Feliz Cidade, ao lado do Planetário, onde foram contruídas 250 unidades imobiliárias e estão em plena construção outras 150, onde famílias de baixa renda podem adquirir seu imóvel a baixo custo.

Provar boa fé do trabalho à frente da Comteto era questão de honrra para Neuton Miranda

Neuton Miranda um dos principais idealizadores da Comteto, viveu ao longo dos últimos cinco anos de vida, uma perseguição implacável de seus inimigos de classe que porcuram atingindo a Comteto, tentar inviabilizar sua luta. A principal acusação era que os "administradores" da cooperativa eram "comunistas". Neuton não se curvou um só minuto. Travou a luta política, a luta judicial, e ideológica. Fez questão de ser testemunha no processo, e repelir todas as leviandades imputadas à cooperativa.

Cooperativa Habitacional de Belém - Comteto

Os responsáveis por todos os prejuízos causados à Cooperativa Habitacional de Belém - Comteto, seus associados e pricipalmente seus Diretores, serão agora processados a reparem civilmente pelos danos morais e materiais que causaram. Uma das principais lideranças que ao longo dos anos causaram tantos transtornos e prejuízos foi o ex cooperado Horácio Gonçalves (foto ao lado), ex membro do Conselho Fiscal, expulso da cooperativa pela assembléia geral. Horácio foi um dos autores das denúncias infundadas que resultou em várias ações judiciais contra os diretores da Comteto, todas elas arquivadas. Agora terá que acertar contas com a Justiça.

Sobre a divisão do Pará - Comentário de internauta

A divisão do Estado dentro do parâmetro defendido atualmente, só representa o desejo de uma elite agro-comercial sediada basicamente em Santarém, no caso do estado do Tapajós. Aqui em Altamira, tal discussão tem pouca importância, ainda mais com toda a celeuma criada pela possível construção da AHE de Belo Monte. Percebo que os defensores desse projeto, mais uma vez, vêem nessa divisão uma grande chance de lucrar, em detrimento da maioria da população. Mas, é importante compreendermos que muitos dos argumentos utilizados tem base na realidade, por exemplo, moro numa região que praticamente só existe por conta de um grande projeto, que foi a abertura da BR 230 - Transamazônica, que até hoje encontra-se abandonada.
Temos aqui pouco investimento do governo estadual, não temos saúde, educação e segurança de qualidade (concordo que esses problemas são comuns a todo o estado, mas no interior, distante da capital, essa situação é bem pior). Apesar das mudanças levadas a cabo pelo governo

LUCAS LIMA MOURA
ALTAMIRA - PA

Do blog: Este comentário foi retirado do site "vermelho"

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Blog do Jorge Panzera

OAB e Ministério Publico debatem com representantes das IES e do movimento social negro implementação de cotas raciais.

A Comissão de Igualdade Racial e Etnia da OAB, presidia pelo advogado Jorge Farias e o Ministério Publico, representado pelo promotor da Cidadania e Direitos Humanos , Aldir Viana, vários representantes das Instituições de Ensino Superior (IES), como a UFPA e UEPA, representantes do Conselho Estadual de Negros e negras, alem de representantes das entidades do movimento social negro e afro-religioso, reuniram-se no plenário da OAB, no ultimo dia 16 de abril de 2010, para debater a implementação e eficácia do sistema de cotas aos aluno(a)s negros, afro-descendentes e indígenas, como política de ação afirmativa para o acesso ao ensino superior. O professor Raimundo Jorge, da Assessoria de Diversidade da UFPA, observou que a adoção de cotas na Universidade Federal do Pará, modifica os horizontes dos estudantes negros, afro-descendente e indígenas, permitindo o acesso destes a áreas de conhecimento antes restritas somente a alunos não negros, como a bioengenharia e biomedicina. Enquanto a Universidade Estadual do Para (UEPA), onde a implantação das cotas estão previstas somente em 2012, após cobrança feito por JORGE FARIAS e outros membros do movimento negro, através da professora Graça Silva, vice-reitora daquela instituição, admitiu debater melhor o assunto, na possibilidade de implantá-las em 2011. Ao final, a reunião deliberou pela criação de uma Comissão de Trabalho, composta por representante das instituições presentes, com a incumbência de apresentar um calendário de ações, visando a implantação das cotas onde ainda não esteja implantado e seu aperfeiçoamento, onde já esteja implantado, como na Universidade Rural da Amazônia e na própria UEPA.

Jorge Lopes de Farias
Presidente da comissão de Defesa da Igualdade Racial e Etnia da OAB/PA

sábado, 24 de abril de 2010

POSIÇÃO DO PCdoB EM RELAÇÃO AO PLEBISCITO SOBRE A DIVISÃO DO ESTADO

A Comissão Política Estadual do PCdoB, através de seu presidente se posicionou em relação ao plebiscito sobre a divisão do Estado através de nota assinada por seu presidente:

DIVISÃO DO ESTADO: AUSÊNCIA DE DEBATE AMPLO E APROFUNDADO
Possivelmente neste mês de abril, a Câmara dos Deputados discutirá o mérito da realização ou não do Plebiscito sobre a divisão do Pará, em mais dois Estados: Tapajós e Carajás. Questão que se arrasta como fogo de monturo, nas regiões oeste e sul/sudeste, com esparsas reverberações na grande imprensa, mas insuficientes para o conhecimento da maioria da população paraense.
Problema de tamanha importância precisa de amplo e aprofundado debate, acima de interesses subalternos. Merece ser contextualizado, além do processo histórico, sob as condicionantes de espectro político, e as condicionantes que derivam da aplicação de uma política econômica e social que privilegiou os grandes projetos de extrativismo mineral e de insumos, o agronegócio e a especulação financeira e imobiliária, principalmente a da terra. Isso em detrimento da industrialização e da infra-estrutura, do enfrentamento das graves questões sociais; sem se preocupar com uma eficiente integração do Estado.
Em conseqüência, persiste um alto grau de concentração de riquezas (0,76% na escala Gini) nas mãos de uma minoria rentista, latifundiária, um punhado de empresários, que busca a todo custo manter e ampliar seus privilégios, impor seu modo de vida e pensamento, sob uma exploração desenfreada dos trabalhadores.
Essas classes e elites que governaram para si mesmos abandonaram o Pará à própria sorte. Não se preocuparam em levar de fato o poder público em forma de investimento, de saúde, de educação, segurança e justiça para todo o Estado, a começar pela capital até o mais longínquo município. Situação que se agravou consideravelmente com a aplicação do neoliberalismo nos 12 anos do tucanato.
O debate sobre a divisão do Estado obrigatoriamente precisa envolver todos os paraenses natos e por adoção, principalmente a maioria desvalida, os trabalhadores. Ele não pode ficar restrito às classes dominantes e elites estaduais e regionais, a suas visões e interesses. Qual a justeza de seus propósitos? Que forças sociais representam? Há lugar para o povo em suas pretensões? Que motivos a movem? São perguntas que precisam ser respondidas.
O que está de fato em questão é o destino de 7 milhões de pessoas, cuja maioria é pobre e despossuída. São 3.491.389 vivendo abaixo da linha de pobreza, distribuídos em todas as regiões sem distinção. O que está posto em primeiro lugar é: como incluir sócio-econômica e culturalmente esse contingente? Qual o melhor caminho: trabalhar sob o paradigma de um projeto de desenvolvimento sustentável e includente todos os potenciais existentes no Estado, ou compartimentá-lo?
Falando sócio-economicamente, o Pará não possui uma região rica em detrimento de outra pobre. Há problemas em todas as regiões, principalmente nas mais habitadas. Para entendimento imediato o Estado é quase desindustralizado. A principal riqueza explorada que são os minérios sai sem deixar receitas de impostos, deixando apenas ínfimas compensações, embora contribua significativamente com a balança comercial brasileira. Ao mesmo tempo, a energia da hidrelétrica de Tucuruí que é subsidiada para a produção da cadeia de alumínio fica cara demais para a população. Se por um lado o PIB paraense é o 13 do país por outro é o 22 per capita. Belém é uma das capitais com alto índice de custo de vida e violência.
No entanto, diferente de outros Estados da região norte, o Pará tem um razoável nível de ocupação com 144 municípios, inúmeros com mais de 100 mil habitantes distribuídos em todas as regiões. Está interligado por rodovias, rios navegáveis e linhas aéreas nacionais e regionais. É um dos poucos estados brasileiros que possui de conjunto inúmeras potencialidades e diversidades de riquezas capazes de impulsionar um grande desenvolvimento de perfil sustentável. Biodiversidade, energia, minérios, tipos diferenciados de solo, água abundante, mão de obra, produção científica, beleza natural etc. Pode ir da metalurgia e sua verticalização, passando pela química fina, industrialização de alimentos e insumos da floresta entre outras. O Estado pode contribuir de forma ainda mais significativa para o desenvolvimento do país .
Hoje com os novos rumos que o Brasil trilha, o Pará, a partir das forças políticas e sociais que o governam atualmente, segue outra orientação e outra prática voltada para a construção de um projeto de desenvolvimento voltado para o Estado como um todo, que prima pela industrialização e pela infra-estrutura, permitindo a geração de emprego e renda em maior quantidade e qualidade e o aproveitamento racional das riquezas. O parque siderúrgico que ora se instala em Marabá, importante cidade pólo da região sudeste, é exemplo vivo, possibilitando a verticalização da economia, a viabilização das hidrovias, portos etc.
Entendemos que os problemas enfrentados pelos paraenses natos e por adoção, em todas as regiões do Estado, são conseqüências de décadas de abandono praticado pelas classes e elites governantes que pactuaram com a lógica do saque, com a prática de concentração de riquezas, com a impunidade. As forças sociais rentistas e latifundiárias do norte e oeste somaram com o tempo às do sul/sudeste na manutenção do atraso, deixando a maioria da população no infortúnio.
O PCdoB/Pará precisa se posicionar sobre esse assunto o mais breve possível para contribuir no debate. Por conseguinte, entendemos que o norte do posicionamento deve ser a inclusão sócio-econômica e cultural da maioria dos 7 milhões de paraenses, com certeza os trabalhadores/as e suas famílias,que sobrevivem com muitas dificuldades.
De que forma a divisão do Estado pode resolver esse problema posto acima? Ao verificar o custo/benefício do empreendimento, o que seria mais vantajoso e conseqüente: arcar com custos separados na construção de infra-estruturas ou potencializar as existentes e aproveitar de forma integrada os elementos constitutivos distribuídos no território do Estado para o desenvolvimento sustentável do mesmo? Qual o grau de prejuízo para grande parte da população sofrida? Qual o grau de prejuízo para a nação? Que interesses econômicos e políticos estão em jogo? Quem ganha de fato com a separação?
Quanto ao Plebiscito, a Comissão Política do PCdoB/Pará entende que pode ser a forma de se desenvolver um amplo e aprofundado debate sobre o tema, esclarecedor, que envolva todos os habitantes do Estado, principalmente os trabalhadores e trabalhadoras. No entanto, que se desenvolva fora dos períodos eleitorais, e que todo paraense possa se manifestar no mesmo.
Belém, 22 de abril de 2010.
Érico de Albuquerque Leal
Presidente Estadual do Partido Comunista do Brasil – PcdoB/Pará

PLENÁRIA DOS COMUNISTAS SINDICALISTAS

Plenária Estadual dos Sindicalistas Comunistas que terá como objetivo debater e planejar as ações dos comunistas no Movimento Sindical Paraense.
Convocamos os/as militantes trabalhadores/as, sindicalistas comunistas para uma Plenária da Secretária Sindical Estadual do PCdoB para debater nossa atuação no movimento sindical paraense.
Contaremos com a presença de João Batista Lemos, Secretário Nacional Sindical.
DATA: 24 de abril de 2010 (sábado).
HORÁRIO: 17 às 21h.
LOCAL: Auditório da SEJUDH
END: Rua 28 de setembro, 339 Comércio.
PAUTA: Desafios e Perspectivas da Ação dos Comunistas no Movimento Sindical Paraense.
A construção do Partido junto à classe trabalhadora é tarefa de todos/as os/as comunistas, assim solicitamos o empenho dos camaradas na mobilização e participação na referida Plenária.

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Aniversário do Camarada Jorge Farias

Alice no País das Maravilhas

Subversivo diretor de histórias conhecidas (Planeta dos Macacos; A Fantástica Fábrica de Chocolate), Tim Burton traz às telas, desta vez, uma fusão dos livros de Lewis Carroll – “As Aventuras de Alice no País das Maravilhas” e “Através do Espelho e o Que Alice Encontrou Por Lá” – roteirizada por Linda Woolverton (O Rei Leão; A Bela e a Fera).



No filme, Alice retorna ao mundo subterrâneo que visitou há treze anos, quando ainda era uma criança. Lá, reencontrará personagens como o Chapeleiro Maluco (Johnny Depp), o Coelho Branco e a Rainha Vermelha (Helena Bonham Carter).

É sabido que Tim Burton não gosta de apenas refilmar histórias. Ele conta a sua versão. Geralmente, o resultado é uma versão mais “apimentada”, sombria. Neste caso, isso não acontece.

O novo “Alice...” continua com o aspecto macabro das histórias originais, seus personagens mantém a essência alucinógena de noção entre o que é realidade ou o que é imaginação, mas o dedo que imperou nesta produção foi o dedo Disney e não o dedo Burton, ou seja, o programa a ser encontrado nos cinemas será muito divertido, mas nada corajoso e com o máximo de lições de moral possível.

A versão em 3D continua com os problemas de sempre: a nitidez ainda não é a mesma que a de uma projeção digital, por exemplo, e o brilho ainda não atinge sua melhor regulagem, pois os óculos 3D tornam a imagem mais escura do que o normal. Mas nada que atrapalhe a sensação ótima de imersão que o formato proporciona, com planos excelentes de plateia da festa de noivado de Alice, destacando cada fileira de pessoas, num imenso corredor de gente cercado de plantas. A sequência em que Alice caiu no buraco da árvore para encontrar a portinha de entrada para Wonderland é vertiginosa e arrisco a advertir os espectadores de estômago mais frágil. Eis um dos poucos momentos em que percebe-se o mão criativa de Tim Burton.

Outra fato que sempre ocorre entre as parcerias Tim Burton X Johnny Depp é o destaque absoluto para o ator, que rouba a cena com talento que impressiona. Depp sai-se muito bem como o Chapeleiro Maluco – exceto por protagonizar uma cena de dança patética, de dar vergonha alheia –, mas finalmente chegou a vez de Helena Bonham Carter (esposa e atriz constante nos filme de Tim Burton) ter os olhos do público voltados para ela. Sua versão para cabeçuda Rainha Vermelha (ou Rainha de Copas) é a típica vilã empática: é sarcástica e engraçada, com a patetice e o deprimente jeito desconjuntado escondidos na perversidade de seus atos desesperados e sua histeria sem fim.


A qualidade da produção, os cenários computadorizados, os figurinos maravilhosos (reparem na quantidade de trocas de roupa de Alice) e o cuidado com os efeitos 3D ressaltam e fazem deste um programa bem divertido e que fará os adultos reviverem a imaginação – e o medo dos personagens – da época em que leram os livros de Lewis Carroll.

Só isso já vale o ingresso, mas só isso não fazem de Alice no País das Maravilhas um filme “maravilhoso”.

Crítica por: Fred Burle (Fred Burle no Cinema)
Fonte:www.cinepop.com.br

Do Blog: Vou ver esta semana, se conseguir comprar ingresso, e depois comento, abraços e bom fim de semana. Alan Pereira

quinta-feira, 22 de abril de 2010

Um pequeno Brasil chamado Pará - Maíra Nogueira

Há alguns anos escrevi uma nota para um blog aqui do estado sobre a polêmica da divisão do Pará. A nota tinha um perfil muito específico para o momento e para aquele blog, mas fundamentalmente representou a minha opinião e de outas tantas pessoas.

Convocação do Plebiscito

Na quarta-feira (14/04) foi aprovada na Câmara a urgência para a votação da matéria que convoca o plebiscito sobre a divisão do Estado do Pará em três, criando os Estados do Tapajós e Carajás.

O Plebiscito oportuniza a manifestação de toda a população do Pará, mas há que se dizer da necessidade de maiores estudos e debates entre os setores da sociedade civil organizada, estudos dos impactos econômicos, políticos e sociais, e o próprio poder público, anteriores à consulta que deve ser feita à população, que possam subsidiar as opiniões de forma consequente, visando avanços no desenvolvimento das diversas regiões e não apenas o que corresponderia ao oeste, sul e sudeste.


Um novo Pará, um novo Brasil

Em meio a todos os aspectos que vem sendo apresentado ao longo dos anos, em especial uma situação de abandono vivido por todo o Pará nos 12 anos de governo demo-tucano, outros precisam ser avaliados, novas realidades que vem sendo construídas a partir de uma nova forma de ver e construir o Estado, que teve início em 2007, com a eleição da governadora Ana Júlia, e com massivo apoio da população e dos partidos mais progressistas, como o PCdoB.

O objetivo aqui não é fazer defesa do governo, mas reconhecer que nossa realidade é bem outra!
Em um estado com as dimensões e características tão particulares como o nosso, é impossível fazer avaliações frias e oportunistas como vem surgindo de algumas "lideranças" políticas. Também é impossível dizer que conseguimos alcançar um patamar de desenvolvimento equivalente entre as regiões e ideal para a população.

O fato é que o Pará mudou pra melhor sim! O projeto de desenvolvimento prioriza quem estava esquecido, dá oportunidades e inverte prioridades. Caminha na estrada certa, inclui, valoriza, cuida, aprende e ensina, dentro de um país que também mudou. Com dimenensões continentais, uma incrível diversidade cultural, social, econômica e financeira. Um país que cresceu, se afirmou se fez de todos e todas e será cada vez mais. Esse deve ser um dos aspectos centrais de todas essas discussões, em qual estrada vamos caminhar?

A voz do povo é a voz do povo!!!!

A defesa do plebiscito é justa e deve ser feita por todos e todas, com todas as informações a que temos direito, com todos os estudos que precisamos, e com ampla participação.

Acredito que é nosso momento de nos (re)conhecer enquanto Estado, estado, povo, população, indentidade. Afinal a beleza da diversidade, a luta contra as desigualdades, a força do povo é a cara do Pará, é a cara do Brasil.


Maíra Nogueira - Do blog As Marias


Do Blog: Este é um espaço de debate, onde os militantes do PC do B -Belém manifestam sua opinião e esta é uma opinião da nossa querida camarada Maíra e foi publicado em seu blog. Maíra nos enviou o link da matéria, então dê sua opinião.

Um abraço e obrigado pela contribuição.

Alan Pereira

PLENÁRIA DO DISTRITAL DOS TRABALHADORES(AS) DO PC DO B/BELÉM

Camaradas trabalhadores/as e sindicalistas,

O PC do B realizou seu 12º Congresso Nacional em Novembro de 2009, quando atualizou seu Programa Socialista e elaborou o Novo Projeto Nacional de Desenvolvimento para o Brasil. E os trabalhadores(as) tem papel estruturante na sociedade brasileira e na implementação do referido Projeto. Sendo o Partido Comunista do Brasil - PC do B, o partido de vanguarda da classe trabalhadora, o mesmo deve estar em sintonia cotidiana com as lutas dos trabalhadores(as) e da sociedade.

Neste sentido, em 2010 teremos grandes batalhas para o Partido e os trabalhadores(as); como as Eleições Gerais, a realização de uma nova Conferência da Classe Trabalhadora (CONCLAT) e a consolidação da CTB enquanto instrumento classista dos trabalhadores(as). Diante do exposto, convidamos os trabalhadores(as) e os sindicalistas militantes do PC do B para a Plenária dos Trabalhadore(as) Comunistas:

DATA: 27 de março de 2010 (sábado).
HORÁRIO: 9 às 12h. (Debate),
12 ás 15h. (Feijoada e Samba)
LOCAL: Sindicato dos Bancários, Rua 28 de Setembro, 1210 Bairro:Reduto

PAUTA:
1 - Desafios e Perspectivas da Ação dos Comunistas no Movimento Sindical em Belém;
2 - Reorganização do Distrital dos Trabalhadores(as) e Organismos de Bases em Belém.


A construção do Partido junto aos trabalhadores(as) é tarefa de todos(as) os comunistas, assim solicitamos o empenho de todos/as na mobilização e participação na referida Plenária.

Saudações Classistas,


Belém-Pará, 10 de março de 2010.



Nairo Bentes
Secretário Municipal Sindical do PC do B/Belém /Coordenação do Distrital dos Trabalhadores(as)

segunda-feira, 19 de abril de 2010

COMITÊ DISTRITAL DO PCdoB DE ICOARACI FAZ PLANEJAMENTO

Reuniu-se dia 19 de abril às 19 horas, o Comitê Distrital do PCdoB em Icoaraci, composto dos camaradas Elói, Roberto Martins, Rita Mirian, Sara, Ivanete, Marinelson e Ricardo, com a presença do secretário municipal de organização do Partido em Belém, Neco Panzera.
Na reunião, foi definida a realização de reuniões de constituição de bases do Partido em 10 áreas de trabalho, com debates sobre os direitos humanos, a lei Maria da Penha e as tarefas políticas, na busca da consolidação de cada núcleo. Foi também definida a reunião quinzenal do Distrital com datas pre-estabelecidas. A reunião ocorreu em clima de animação no entendimento de que estão se dando passos decicivos para a construção de um grande Partido em Icoarací.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

1ª MOSTRA DE CINEMA MARAJOARA

O Museu do Marajó promoverá no período de 24 à 27/04, a 1ª Mostra de Cinema Marajoara no município de Cachoeira do Arari/Marajó e privilegiará filmes que tenham sido rodados no arquipélago.
A programação contará com obras raras como as de Líbero Luxardo “Marajó- Barreira do Mar” e o lançamento dos documentários “O Ajuntador de Cacos” de Paulo Miranda - Lux Amazônia, “Sou teu Maninho - Um grito Marajoara” de Daniel Corrêa, selecionado no Projeto Revelando os Brasis e “O Glorioso”, produzido pela Castanha Filmes, com direção, fotografia e edição de Gavin Andrews e que contou com a participação da equipe de pesquisadores do IPHAN, além de outros filmes curta-metragem selecionados para a Mostra até o dia 20/04. As inscrições para exibição de outros filmes..
Jose Varella

“BRASIL DE LULA e DILMA COMO ALTERNATIVA DE ESQUERDA À GLOBALIZAÇÃO”

O Brasil, é sob muitos aspectos um exemplo para o mundo e uma das aspirações para a construção de uma agenda alternativa de esquerda para uma outra mundialização, disse Ségolène Royal, ex-candidata a presidente da França e dirigente do Partido Socialista. Em uma aula inaugural da Universidade Cândido Mendes, Ségolène afirmou: “ no Brasil de Lula, temos o laboratório da fusão entre eficiência econômica e justiça social. A prova disso é o muito ambicioso Programa de Aceleração de Crescimento” que Lula e Dilma – cuja trajetória, coragem e eficiência eu admiro -, acabam de lançar.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

Lula x FHC

Com isenção de ânimo e sem paixões políticas, conhecer indicadores sociais e econômicos publicados pelo Jornal “The Economist”, comparando os Governos FHC e Lula.

Em um ano em que estarão em disputa dois projetos de Brasil esses dados nos dão indicativos do resultado dos mesmos em números. Naturalmente que são dados incompletos, por exemplo, no que tange a dívida com FMI em que a tabela diz, “não mexeu”, sabe-se que somente no ultimo ano de Governo, para evitar que o Brasil quebrasse, FHC pediu 40 bilhões ao FMI.


Clique para ampliar

CURSO DE FORMAÇÃO PARA PRÉ-CANDIDATOS DO PCdoB

Dia 17 próximo (sábado), a partir de 8 hrs da manhã, o PCdoB estará realizando um curso de formação política para seus pré-candidatos a deputados estaduais. O curso objetiva contribuir para a capacitação política das lideranças e unificar o discurso do PCdoB na batalha eleitoral que se aproxima.
Local: sede da CTB, à Rua Castro Alves, esquina com 1º de Março, altos.

A POLÊMICA DE BELO MONTE

A suspensão do leilão para a construção da usina de Belo Monte, marcado para 20 de abril, é mais um dos obstáculos que este projeto enfrenta para sua concretização. Há argumentos ambientais, econômicos, e a interferência do imperialismo norte-americano. Mas o governo brasileiro garante que a obra sai: ela é necessária para o desenvolvimento do país.

Lula foi duro contra as ong's que se mobilizam contra a construção da usina. "Nós ficamos 20 anos proibidos de fazer até os estudos de viabilidade para Belo Monte, e agora estão aparecendo ONGs do mundo inteiro para protestar contra a hidrelétrica. Não precisam vir aqui dar palpite. Fizemos revisões do projeto e o lago vai ser um terço do que se havia pensado no início", afirmou, disse, garantindo que "ninguém tem mais interesse em defender a Amazônia e os índios do que o próprio Brasil".

Ela é considerada fundamental para garantir o fornecimento de energia elétrica para o desenvolvimento do Pará e do nordeste - desenvolvimento que, segundo as previsões, vai ser acelerado daqui para frente. E que poderá ser comprometido se não houver oferta suficiente de energia elétrica.

A opinião da Governadora Ana Júlia: "Não se pode impedir o desenvolvimento do Pará com ações que não são do interesse de maior parte da população".

A intensa polêmica ganhou (dia 12) a arrogante e inoportuna adesão do cineasta canadense James Cameron (diretor do filme Avatar), que teve a petulância de, em um ato público contra a construção da Usina realizado em Brasília, ameaçar a soberania nacional sobre a Amazônia dizendo que “o problema de Belo Monte não é só do Brasil” mas do mundo todo, e que vai levar a questão ao Congresso dos EUA. "Vou para Washington para conversar com senadores”, ameaçou, como se lá houvesse alguma autoridade competente para tomar qualquer decisão sobre a construção de uma usina em território brasileiro!

Cameron foi imediatamente criticado pelo vice-presidente José Alencar: é a opinião de uma pessoa. “Se passar da conta, “tem que dar um pito ‘nele’”, disse o vice-presidente. Ele foi diplomático: qualquer opinião dessa "pessoa" sobre questões que dizem respeito estritamente à soberania nacional e à integridade de nosso território são inaceitáveis pois tratam-se de decisões que cabem exclusivamente ao Estado brasileiro.

Síntese de Artigo de José Carlos Ruy do Portal Vermelho

quarta-feira, 14 de abril de 2010

LIDERANÇAS APOIAM JORGE FARIAS E JORGE PANZERA

Lideranças do movimento social e negro, advogados e professores, reuniram-se para apoiar as pré-candidaturas de JORGE FARIAS, a estadual e JORGE PANZERA, a federal, pelo PCdoB.
No dia 10 de abril de 2010 (sábado) varias lideranças do movimento social negro e quilombola, advogados, empregadas domesticas e professores, reuniram-se para debater e aprovar propostas de planejamento da campanha eleitoral do advogado, militante do PCdoB, JORGE FARIAS e também em apoio a candidatura a deputado federal, do ex-secretario de esporte e lazer, igualmente militante do PCdoB, JORGE PANZERA. A reunião, que foi realizada no auditório do colégio Ruth Rosita, no bairro do Guama, contou com mais de 20 participantes, dentre os quais Natanael Faro, membro do CDENPA e afro-religioso, Maria da Paixão, presidente do conselho municipal do negro e negra de Belém, SUELI, do PCdoB de Bujaru, Teodoro Lalor, da comunidade quilombola do rio Gurupa, município de Cachoeira do Arari, Jairo Rodrigues, presidente estadual da UNEGRO e do conselheiro e ouvidor da Ordem dos advogados do Brasil (OAB) seção Para, OSVALDO COELHO, que se manifestou com entusiasmo em apoio a candidatura de Jorge Farias, destacando sua trajetória de trabalho e luta em defesa dos direitos sociais, dos direitos humanos e de combate a impunidade. Esteve presente também o secretario de organização do PCdoB/PA, Aroldo Carneiro, que falou da importância das eleições de 2010 e do projeto eleitoral do PCdoB. No final foi escolhida uma comissão para elaborar a plataforma política eleitoral e cuidar da organização do aniversario do candidato, que será no próximo dia 23 de abril de 2010.
--

LANÇADO LIVRO DE GERALD COHEN:"Porque não socialismo?

“O Socialismo”, disse Albert Einstein, é a tentativa da humanidade “superar e sobrepujar a fase predatória da evolução humana”; e, para Gerald. A. Cohen, “todo mercado (...) é um sistema predatório”. Tal é a essência de seu último livro, breve porém incisivo e elegantemente escrito (Cohen morreu em agosto passado). Seu propósito é assentar o que chama de as bases “preliminares” - uma tentativa que, afinal, bem poderia chegar a ser derrotada por realidades inexoráveis – de uma alternativa socialista. É desejável, pergunta-se, e se desejável, factível, construir uma sociedade movida por algo que não seja a predação, que não responda às motivações “mesquinhas”, “baixas”, “repugnantes” do mercado, mas que esteja antes dirigida por um compromisso moral com a comunidade e com a igualdade?

Geraldo Cohen,é considerado pelo “The Guardian” como o maior filósofo marxista da atiualidade.

ARQUEOLOGIA REVELA TESOUROS DA MÃE ÁFRICA

levantam-se as cortinas do passado longínquo.. Se os mais privilegiados já sabiam que a África é o berço da humanidade apenas uma minoria de historiadores ocidentais havia o "segredo" de que a Civilização tem marca de origem negra no alto Nilo (Etiópia e Sudão). Daí o Egito foi colonizado e mestiçado, para colonizar por sua vez Chipre e a Grécia...lembrai-vos, todavia, fechando um longo ciclo civilizacional -- do Nilo ao Amazonas -- temos (entre chuvas e esquecimento) no delta-estuário do maior rio do planeta a primeira cultura complexa da Amazônia (a Cultura Marajoara), a caçula da família humana, com apenas 1500 aninhos. Como diria o pai da Negritude, poeta da Martinica, Aimé Cesaire: não é verdade que a obra do Homem esteja acabada, ela vem apenas de começar...
Jose Varella

terça-feira, 13 de abril de 2010

PCdoB junto com Dilma para o Brasil Avançar

Em ato de apoio informal e aos gritos de “olé, olê, olé, olá, Dilma, Dilma” cerca de mil militantes entre dirigentes, parlamentares, prefeitos e convidados recepcionaram a pré-candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, nesta quinta (8) à noite, no Centro de Convenções Ulysses Guimarãs, em Brasília, com a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A tônica dos discursos foi a crítica aos governos neoliberais do PSDB e a necessidade de avançar nas mudanças.Referindo-se à militância do PCdoB, Dilma disse que são pessoas sabedoras de que “é preciso lutar para que as forças do atraso não voltem”. “Lutar para que não voltem aqueles que, incapazes de ter um projeto para o Brasil, venderam o patrimônio público e sempre querem desfazer o que está sendo feito”, discursou. Leia mais aqui no Vermelho.


3º Encontro convoca Assembléia Nacional dos Movimentos Sociais

Na sexta feira, dia 9, foi realizado em Brasília, na sede da Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação, o 3º Encontro Nacional dos Movimentos Sociais do PCdoB. A principal tarefa foi a convocação da Assembléia Nacional dos Movimentos Sociais para o dia 31 de maio. Estiveram presentes mais de 100 dirigentes das diversas frentes de mulheres, negros, jovens, trabalhadores, comunitários, internacional, esportes, entre outras. O iforme inicial foi feito pelo presidente do Partido, Renato Rabelo, e em seguida Lucia Stumpf, apresentou o documento base. Do Pará estiveram presentes, o Secretário Estadual de Movimento Social, Mailson e pelo Comitê de Belém, Mario hesketh.

Comitê Central presta homenagem a Neuton Miranda



Renato Rabelo: "Neuton Miranda foi um exemblo a ser seguido por todos os dirigentes e militantes comunistas. Uma perda irreparável para o Partido e para a Esquerda".

Na tarde de quinta feira, 8 de abril, antes do ato em que o PCdoB declarou apoio a candidatura de Dilma Roussef a Presidência da República, reuniu-se o Comitê Central do partido para homologar o apoio, aprovado por unanimidade. Na oportunidade foi prestada homenagem ao Camarada Neuton Miranda falecido em 20 de fevereiro, vítima de um infarto agudo no miocárdio.

Delegação paraense leva apoio a Flavio Dino


Na manhã de quinta feira, dia 8 de abril, uma comissão de dirigentes encabeçada pelo presidente do Comitê Estadual Erico Leal, Jorge Panzera, pré candidato a deputado federal, Lélio Costa, Superintentende do patrimônio da União, e Mario Hesketh pelo Comitê Municipal da Capital, foram leval seu apoio ao deputado federal Falvio Dino, candidato a Governador da Frente de Libertação do Maranhão encabeçada pelo PCdoB.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

PENSAMENTO DE RUI BARATA

"O que nunca me foi perguntado e que sempre quis dizer é que a política, a militância política e todo o questionamento social é, no fundo, uma poesia, porque ambas, política e poesia, nutrem uma esperança comum de beleza e se alimentam do sonho de uma utopia, que é estética e social." (Ruy Barata, poeta cabano).

Contribuição de Jose Varella

Marque na agenda: 1º seminário do Centro de Estudos e Memória da Juventude Amazônica

Mais do que o movimento que organiza diversos agentes da cultura popular o CEMJA(Cento de Estudos e Memória da Juventude Amazônica),tem a missão de ser um centro de referência aglutinador de informações que possam fomentar uma visão cientifica e progressista sobre a juventude,através do estudo e da preservação da memória e registro da participação da juventude no processo histórico e que vem ao longo dos últimos meses,compondo a luta ao lado dos mais diversos atores do movimento social paraense para garantir as conquistas sociais adquiridas neste quatro anos.

Dando continuidade à sua história de lutas,o CEMJA vem realizar o seu 1º Seminário,que contará com a presença de mais de 100 agentes e operadores dos movimentos sociais,que estão tomando conta dos quatro cantos da cidade.Será realizado entre os dias 22 e 23 de Abril na Estação Gasômetro(Parque da Residência)-Belém.

O encontro terá como tema central o tema “O estado e o terceiro setor”-Agir no presente para transformar o futuro- com o objetivo principal de repassar experiências,informações,capacitar dirigentes para uma melhor gestão de suas entidades e organizações e transformar o resultado do seminário em um impulso organizativo,que amplie as bases e favoreçam nossas lideranças em 2010.

Programação:

22/04 - (quinta-feira)

8:00h-Abertura do seminário- Com a presença da SECULT, CURRO VELHO, SPU, SEEL e ABONG.

8:30h-Mesa 1:O estado e o terceiro setor:novas perspectivas de intervenção social-SECULT-(Carlos Henrique)-pontos der cultura,ABONG(ASSOCIAÇÃO DE ONGS),PONTO NO XINGU-FUNDAÇÃO TOCAIA-ALTAMIRA-(Zhumar de Nazaré)

10:00h-Mesa 2:Leis de incentivo ao esporte-(Jorge panzera)

11:30h-intervalo-vídeo cultura de rua(Luiz Cláudio/Marcelo Silva)

12:00-Programação cultural-exposições:Cosp tinta(graffiti),ponto de fuga(quadrinhhos).Apresentação:Nascej/quadrilha junina.Show:Nação hip-hop Pará(Revolução do norte e Mc Gaspar),Lapidação poética.

23/04-(sexta-feira)

9:00h-Mesa 1:Formatação e produção de projetos/Secult(Cesar nogueira)

10:30:intervalo:vídeo coliseu radical(Faeli Chaves)

11:00h:Mesa 2-Leis de incentivo a cultura/Secult(Alcir santos)

12:00h-Programação cultural de encerramento:Ponto de cultura erança do velho Chico, grupo para folclórico Frutos da terra-Show- Pedro Callado Rogério Almeida.

Enviado por e-mail ao blog.

União Acadêmica Paraense tem novo presidente

Companheiro,No dia 08, na UFPA, membros da diretoria executiva da União Academica Paraense - UAP, tais como Rafaela Rodrigues da DS, Liana Azevedo da CNB, Igor normando do PMDB, oficializaram a mudança da presidência da entidade, que a partir de hoje passa a ser presidida pelo também militante do PCdoB e da UJS Pedro Fonteles. A reunião aconteceu na UFPA.
Do Blog: Parabéns ao Pedro Fonteles.

domingo, 11 de abril de 2010

DILMA ENTRE SINDICALISTAS NO ABC

Dilma Rousseff, voltou a defender neste sábado (10), em evento realizado na sede do Sindicato dos Metalúrgicos no ABC, Grande São Paulo, um Estado forte, a serviço do “interesse nacional”. Apresentando-se como contraponto à oposição, Dilma desconstruiu o slogan da campanha de José Serra, que se lançou neste sábado como pré-candidato à presidência pelo PSDB.
“O Brasil pode mais porque nós pudemos mais”, provocou a ex-ministra. “É a diferença entre nós e eles. Eles podem e nós fazemos”, afirmou Dilma, em referência ao slogan da campanha de Serra, “O Brasil pode mais”. Sem citar nomes, Dilma disse que não pediria para as pessoas esquecer o que ela fez. “Vocês não me verão pedindo que esqueçam o que afirmei ou escrevi”, afirmou, em referência ao ex-presidente Fernando Henrique Cardoso que teria dito a frase.O presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que também participou do evento, partiu para o ataque. Mostrando-se bem informado sobre o evento realizado em Brasília para lançar a pré-candidatura de Serra, Lula disse que “o momento auspicioso foi quando o ex-governador de Minas [Aécio Neves] disse que é preciso reforçar as privatizações. Foi o momento de maior aplauso na festa dele”. “Se não fosse o Banco do Brasil, a Caixa Econômica, o BNDES, nós teríamos sucumbido na crise”, declarou Lula. “Foi preciso um metalúrgico, socialista, para ensinar esse povo como fazer o capitalismo”. (FONTE: PORTAL VERMELHO)

REAÇÕES À CANDIDATURA DE SERRA

Um tucano, um lobo, um cordeiro ou um blefe?
Por de Saul Leblon
A candidatura Serra representa o estuário do que há de pior no conservadorismo brasileiro. Um verdadeiro cavalo-de-tróia pintado com palavras de um difuso 'progressismo' para edulcorar o verdadeiro projeto por trás das rédeas: derrotar o avanço popular obtido a duras penas com o governo Lula nos últimos anos, mas sobretudo agora no segundo mandato; trazer a direita de volta ao comando do Estado brasileiro (de onde nunca saiu, mas perdeu a hegemonia absoluta da era FHC). E, estrategicamente, impedir que a continuidade desse processo possa aprofundar a democracia social no país.

Serra é o candidato da direita
Por Emir Sader
Serra representa as mesmas forças que protagonizaram os 8 anos do governo FHC, que implementou o neoliberalismo no Brasil, governo de que o próprio Serra foi ministro todo o tempo.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Eletrobras analisa novo consórcio para leilão de Belo Monte, diz Zimmermann

Mais um consórcio poderá ser formado para o leilão de construção da Usina de Belo Monte, no Rio Xingu, no Pará, além do integrado pela construtora Andrade Gutierrez e as empresas Vale, Votorantim e Neoenergia, disse na quarta-feira (7) o ministro de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, após reunião com a ministra-chefe da Casa Civil, Erenice Guerra.

O consórcio, segundo Zimmermann, poderá ter a Eletrobras e as empresas avulsas que se inscreveram para o leilão. O ministro negou que o governo vá prorrogar o prazo para que empresas privadas apresentassem suas propostas de formação de grupos para disputa do leilão. O prazo foi encerrado na tarde de hoje (7).

O ministro de Minas e Energia acredita que o leilão ocorrerá no próximo dia 20, apesar das críticas feitas pelo Ministério Público do Pará à concessão do licenciamento ambiental para a construção da usina.

“A legislação ambiental brasileira é uma das mais severas do mundo. Todo o ritual de estudos ambientais de Belo Monte, começado em 2005, foi entregue, passou por anos de análise. Então, quando você recebe a licença é porque você cumpriu todas etapas. Temos plena confiança de que é uma usina confiável”, disse. (Fonte: Ivan Richard/ Agência Brasil)
Enviado por e-mail a este blog

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Enquete: Você é a favor ou contra a divisão do estado do Pará ?

Nós publicamos esta matéria do Jornal Diário do Pará que dá bem a dimensão da divisão que alcança a classe política no estado, e boa parte da população que ainda não se encontra totalmente esclarecida sobre o assunto.

A impressão que temos em relação a este assunto, é que parece que estão tratando o assunto igual quando proclamaram a República no Brasil. O povo só ficou sabendo quando as tropas estavam nas ruas. Então resolvemos "puxar" um pouco este debate no blog.

Na redes sociais o debate já está rolando há algum tempo. Confira:

Comunidade:

Divisão do Pará - DIGA NÃO!

Essa comunidade é para todos os paraenses e pessoas que amam de coração este estado e que são extremamente “CONTRA” a divisão do mesmo.

*Redivisão territorial do Brasil. Você vai pagar essa conta!*

Retalhado (Estado do Pará) com a criação do estado de Carajás, no sul e sudeste de seu território, levando 39 municípios, proposta do ex-deputado Giovanni Queiroz, o Pará perderia a província mineral de Carajás, a maior do planeta, e mais de 60% de seu rebanho bovino. Ceifado em 25 municípios no oeste, em toda a calha norte do rio Amazonas, com a implantação do estado do Tapajós, o Pará ficaria sem uma de seus principais atrações turísticas, as praias do rio Tapajós, com destaque para Alter-do-Chão, o Caribe amazônico. E sem o arquipélago do Marajó, outro pólo turístico, transformado em território federal, os paraenses perderiam outros 17 municípios e veriam seu território reduzido à região metropolitana de Belém e ao nordeste do Estado.

Divisão do Pará - Diga SIM

Comunidade dedicada aos Paraenses, residentes nas áreas do Carajás, Marajó e Tapajós, e aos Imigrantes de outros Estados do Brasil, que buscam no atual Pará, melhor qualidade de vida, infra-estrutura, boas estradas, saúde, segurança, educação, e etc.

Adeptos pela Divisão do Pará, tudo que é produzido ou proveniente de riquezas naturais, dificilmente retorna para essas regiões.

O Estado do Carajás, no Sudeste e no Sul do Pará, tem 39 municípios, com um potencial de 60% do rebanho bovino do Pará e a maior reserva mineral do Mundo.
O Estado do Tapajós, no Oeste do Pará, tem 25 municípios, tem como referencial o Turismo, as praias do Rio Tapajós, principalmente a praia de Alter-do-Chão.

Sites/Blogs - Pró-Emancipação do Carajás e Tapajós:

www.estadodocarajas.com.br
www.meutapajos.nafoto.net
www.pro-tapajos.net

Vamos Enviar Emails/Fax para os Politicos Paraenses em Brasília:
http://www.orkut.com/CommMsgs.aspx?cmm=5544428&tid=2545773074367010714&start=1


CONFIRA AS COMUNIDADES, LEIA A MATÉRIA DO DIÁRIO (abaixo) E DIGA SUA OPINIÃO.

VOTE NA "CAIXINHA" NA LATERAL DO BLOG.

Você é a favor ou contra a divisão do estado do Pará ?

Alan Pereira - Secretário de Comunicação - PCdoB - Belém

Divisão do Pará

O mês de dezembro reacendeu as esperanças de parte da bancada paraense que sonha com o fracionamento do Estado do Pará. Os projetos que autorizam a realização de plebiscitos para saber se a população quer ou não a criação dos estados do Carajás e do Tapajós ressurgiram na pauta legislativa e podem ser votados em plenário nesta última semana de trabalho da Câmara dos Deputados. O otimismo é grande para quem, como os decanos Asdrubal Bentes (PMDB) e Giovanni Queiróz (PDT), sonha há duas décadas com o desmembramento das regiões Sul e Sudeste do Pará.

O deputado Lira Maia (DEM) foi a reboque da grande mobilização feita pelos “carajazistas” e conseguiu também incluir o projeto que prevê a realização do plebiscito para ouvir a população sobre a criação do estado do Tapajós. Toda esta movimentação dos paraenses na Câmara dos Deputados chamou a atenção de jornalistas e demais bancadas que se preparam para encerrar o ano legislativo.

PRESSÃO

Desde a primeira semana de dezembro, quando o plenário do Senado Federal aprovou o Projeto de Decreto Legislativo nº 52/2007, que autoriza a realização do plebiscito sobre a criação do Carajás, caravanas de prefeitos e vereadores desembarcaram em Brasília para fazer pressão pela inclusão do projeto na pauta de votação do plenário.

As mulheres foram mobilizadas pela deputada Bel Mesquita (PMDB). No dia 8 de dezembro mais de 400 lideranças femininas, políticas e empresariais do sul e sudeste do Pará fizeram uma mobilização nos corredores da Câmara. No mesmo dia, o deputado federal e ex-governador do Pará (por duas vezes), Jader Barbalho (PMDB) hipotecou seu apoio ao movimento pela aprovação do plebiscito em um plenário que reuniu. além das mulheres, prefeitos, vereadores e apoiadores do movimento.

O deputado lembrou, na oportunidade, que foi o governador que mais investiu na região com a construção da PA-150 e do linhão de transmissão que energizou os municípios que ficam na região sul e sudeste do Pará. Jader Barbalho defendeu um amplo debate dos prós e contras para a criação do Estado.

“Não tenho medo em absoluto do resultado desse plebiscito. Quem tem medo do plebiscito, tem medo da democracia”, manifestou-se arrancando aplausos. Os prefeitos presentes chegaram a brincar com o deputado Jader Barbalho, convidando-o a trocar de domicílio eleitoral, caso o futuro Estado seja realmente criado. Bem humorado, o deputado brincou: “o convite é uma tentação!”.

PAUTA OBSTRUÍDA

Logo após o encontro, que aconteceu em um dos plenários das comissões permanentes, o grupo se dirigiu à sala da presidência da Câmara dos Deputados, onde foram recebidos pelo presidente Michel Temer (PMDB). Temer se comprometeu a colocar o projeto na pauta de votação.

Os deputados pró-criação do Carajás saíram otimistas do encontro. Porém, eles não contavam com a estratégia da oposição ao governo Lula na Câmara, que, desde a semana passada está obstruíndo toda a pauta de votações. Os líderes do PSDB e do DEM estão conseguindo, por meio de manobras regimentais, evitar que praticamente todas as votações sejam obstruídas. A consequência disso é que nenhuma outra matéria está sendo votada, com exceção da que estabelece a partilha dos dividendos do pré-sal, e mesmo assim, de forma muito lenta.

“Vamos lutar para incluir na terça e também na quarta. Mas fato é que o DEM está conseguindo obstruir todas as sessões da Câmara e do Congresso”, explicou Giovanni Queiróz, que, juntamente com os deputados peemedebistas Zequinha Marinho, Asdrúbal Bentes, Bel Mesquita e o próprio Jader Barbalho, têm sido os últimos a sair do plenário, lutando insistentemente para incluir o Projeto de Decreto Legislativo na pauta de votação.

Irritados com os próprios colegas da Casa Legislativa, que não vêm dando apoio para que o projeto de plebiscito seja votado ainda este ano, os deputados Zequinha Marinho (PMDB) e Lira Maia (DEM) subiram na tribuna da Câmara, na última quinta (10), para protestar. Zequinha Marinho lembrou que, se para o Rio de Janeiro e São Paulo a questão do pré-sal é fundamental, para o estado do Pará a discussão sobre a criação de um novo estado também é de grande importância.

“O Pará precisa ser olhado dessa forma. Não é possível um desenho geográfico de 400 anos, uma área de um milhão e 250 mil quilômetros quadrados, cuja capital está na costa do Atlântico e o resto da terra com seu povo, à distância, condenando essa gente a uma situação de subdesenvolvimento crônico, que não sai do lugar”, discursou Marinho.

Lira Maia fez um apelo direto: “Da tribuna da Câmara dos Deputados, faço a solicitação a todos os deputados: deem essa oportunidade ao povo do Pará, do Tapajós e do Carajás, que tanto reivindicam a divisão territorial”. Ele lembrou que todos os estados brasileiros que foram desmembrados estão tendo resultados positivos. “Mostrem-me qual Estado que foi criado ou desmembrado que está pior do que era. Mostrem-me um município sequer que foi criado e emancipado que esteja pior do que era. Portanto, a estratégia de redivisão territorial é interessante”, discursou.

ENTENDA

NA CÂMARA

Projetos que autorizam plebiscitos para saber a vontade da população sobre a criação dos estados do Carajás e do Tapajós voltaram à pauta: podem ser votados nesta última semana de trabalho da Câmara dos Deputados.

NO SENADO

O Senado Federal já aprovou o Projeto de Decreto Legislativo nº 52/2007, que autoriza a realização do plebiscito sobre a criação do

Carajás.



>> Projetos de divisão vêm desde os anos 80

Caso o resultado do plebiscito seja favorável em ambas as consultas, seriam criados o 27º e o 28º estados da Federação Brasileira. O estado do Carajás teria uma área de 285 mil quilômetros quadrados, 38 municípios e 1,3 milhão de habitantes. Nasceria do desmembramento da região do Carajás, distante 500 quilômetros de Belém, e conhecida por sua riqueza mineral.

A descoberta da grande reserva de minério na serra de Carajás na década de 1960 determinou todo o cenário econômico, político, social e territorial nas regiões sul e sudeste do Pará. Surgiram então novos municípios. Os tradicionais fazendeiros foram, aos poucos, cedendo lugar às grandes fazendas. As grandes obras, como da hidrelétrica de Tucuruí, de ferrovias e de rodovias, trouxeram uma multidão de migrantes. Tornou-se uma região rica e cobiçada.

A região do Tapajós fica a oeste do Pará. No tempo do Brasil Império, quando foram feitos os estudos para a divisão territorial da Amazônia, já se sugeria a criação da Província do Tapajós. A proposta de criação do estado do Tapajós chegou à Câmara dos Deputados em 1988, na Assembleia Constituinte, quando os Parlamentares criaram o Estado do Tocantins.

Portanto, em 1988, Tapajós já entrava na pauta de discussão do Parlamento, mas, por causa de um voto numa comissão, deixou de ser aprovado. Mesmo assim, a Constituição de 88, no art. 12 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, estabeleceu a criação de uma Comissão de Estudos Territoriais para estudar o assunto. A Comissão foi instalada e, depois de feitos os estudos, sugeriu, em seu relatório que, de fato, fosse criado o Estado do Tapajós.O novo estado teria praticamente a metade do estado do Pará – que é de 1.247.000 quilômetros quadrados – e tem hoje mais de 1 milhão e 300 mil habitantes.

>> Novos estados: custos de RS 832 mi ao ano

Mas a criação de um novo Estado não é uma proposta tão simples como parece demonstrado pela leitura dos projetos de decretos legislativos que tramitam na Câmara e que podem ser aprovados pelo plenário na próxima semana. O pesquisador Rogério Boueri, do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), organizou, no início deste ano, o estudo “Custos de funcionamento das unidades federativas brasileiras e suas implicações sobre a criação de novos estados”.

No trabalho ele propõe a discussão sobre as propostas de criação de 16 novos estados que tramitam no Congresso Nacional desde 1988 e seu reflexo no PIB nacional. Segundo o pesquisador, a criação de novas unidades federativas implica em significante aumento de gastos públicos.

A partir de estudos de gastos por habitante em relação ao PIB em todas as unidades federativas, o trabalho de pesquisa concluiu que o resultado é mais peso no bolso do cidadão. Um novo estado teria em média custos fixos de R$ 832 milhões anuais.

Boueri analisou cada uma das propostas no Congresso Nacional entre 1998 e 2008, em termos de população, área, produto interno bruto (PIB) e gastos estaduais. “Em alguns casos, o gasto público estimado superaria o total da produção local, demonstrando flagrante inviabilidade econômica para a criação da unidade”, afirma o pesquisador.

“Novas proposições desta natureza devem ser formuladas de maneira mais consistente no tocante ao conteúdo geográfico, econômico e financeiro, de forma a não onerar o já sobrecarregado parlamento brasileiro com propostas claramente inviáveis”, alerta o trabalho.

Para provar a viabilidade do desmembramento das regiões sul e sudeste do Pará, a Associação dos Municípios do Araguaia e Tocantins (Amat) contratou ninguém menos que a Fundação Getúlio Vargas para dar início aos estudos já em janeiro. “Vamos mostrar a viabilidade da criação do estado do Carajás”, concluiu Giovanni Queiróz, autor do PDC que pode tornar realidade o sonho de 38 municípios que não têm economizado na mobilização pela realização do plebiscito.

Caso sejam encaminhados para votação no plenário e aprovados pela maioria dos deputados na proxima semana, caberá ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) realizar até junho o plebiscito.

Esta matéria foi publicada no Diário do Pará em 13/12/2009

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Projeto Ficha Limpa está na pauta de hoje da Câmara

O presidente da Câmara, Michel Temer, afirmou que ainda há muitas resistências à proposta. Temer e os líderes partidários vão discutir o tema hoje, em reunião marcada para as 11h30.

O projeto Ficha Limpa está pauta de hoje da sessão extraordinária do Plenário. O substitutivo do deputado Indio da Costa (DEM-RJ) à proposta torna inelegível por oito anos quem for condenado por órgão colegiado e conduta dolosa (quando há intenção de violar a lei). Se aprovada, a medida poderá valer nas eleições deste ano.

Michel Temer disse ontem que ainda há várias resistências ao projeto e, por isso, vai negociar com os líderes partidários o início da votação. Temer e os líderes se reúnem hoje para discutir a pauta de votações.
Temer afirmou que as divergências sobre o projeto serão levadas ao plenário, onde os deputados deverão apresentar novas emendas para alterar a proposta.

O DEM anunciou que vai apresentar requerimento para que o projeto tramite em regime de urgênciaRegime de tramitação que dispensa prazos e formalidades regimentais, para que a proposição seja votada rapidamente. Nesse regime, os projetos tramitam simultaneamente nas comissões - e não em uma cada de vez, como na tramitação normal. Para tramitar nesse regime é preciso a aprovação, pelo Plenário, de requerimento apresentado por: 1/3 dos deputados; líderes que representem esse número ou 2/3 dos integrantes de uma das comissões que avaliarão a proposta. Alguns projetos já tramitam automaticamente em regime de urgência, como os que tratam de acordos internacionais.

Temer disse não acreditar, porém, que o pedido seja aprovado. "Vou consultar os líderes, mas eu temo que não queiram votar o regime de urgência. Aí nós devolvemos o projeto para a CCJ e lá será o palco próprio para formatar em definitivo o projeto."

O projeto Ficha Limpa é uma iniciativa do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral (MCCE) e recebeu 1,6 milhão de assinaturas de apoio. (Ag. Câmara)

Do site O Globo

terça-feira, 6 de abril de 2010

Senado ratifica a Convenção 151 da OIT

Foi ratificada pelo plenário do Senado, no último dia 30, a Convenção 151 da Organização Internacional do Trabalho da ONU (OIT). O acordo estabelece como princípio o direito à organização sindical e à negociação coletiva entre os trabalhadores públicos e seus respectivos gestores, que no caso podem ser qualquer uma das três esferas de governo – municipal, estadual ou federal.

Para o movimento sindical, esta é uma das maiores vitórias sociais desde a aprovação da legalidade da organização sindical no serviço público, que só aconteceu com a constituição de 1988.

Fonte: Vermelho

segunda-feira, 5 de abril de 2010

O DESPONTAR DE UM NOVO PARÁ

Esta semana ocorreu um fato de grande importância para o futuro do Estado do Pará. O início das obras para a implantação da Alpa- siderúrgica Aços Laminados do Pará, empreendimento da Vale do Rio Doce, com a entrega pela Governadora Ana Júlia, da licença prévia para a implantação do projeto no município de Marabá.

Juntamente com um conjunto de obras de infra-estrutura como as eclusas de Tucurui, previstas para inaugurar em junho próximo, as obras de derrocamento do Rio Tocantins, que o tornara navegável até Marabá em um primeiro momento, e em um segundo até a cidade de Imperatriz no Maranhão, a construção da hidrelétrica e do porto de Marabá, entre outras.

Este conjunto de empreendimentos criarão as condições para o início da superação do modelo extrativista exportador que predominou até hoje na economia paraense, um dos principais entraves a nosso desenvolvimento, que não agrega valor aos produtos primários de produção e exportação, com baixa capacidade de gerar e distribuir riquezas.

O eixo Marabá-Barcarena, se tornará importante pólo siderúrgico que certamente atrairá outros investimentos. Com condições excepcionais: próximo às fontes de matéria prima, com uma estrutura de transporte hidroviária e ferroviária terá certamente um poder multiplicador. Já está prevista a implantação de outra siderúrgica, a Aline, com investimentos orçados em R$1,5 bilhões para produzir aços laminados a quente e aço galvanizado. Já se fala na possibilidade do desenvolvimento da indústria naval, de vagões ferroviários, entre outras. A perspectiva é da criação de 120 mil postos de trabalho.

Ponto para o Governo Lula e a Governadora Ana Júlia que desenvolveram uma campanha sistemática sobre a Vale do Rio Doce no sentido da implantação do projeto, para verticalizar a produção mineral, agregando mais valor, criando mais emprego e desenvolvimento para o Estado e a região.

Esta é mais uma evidência da necessidade da intervenção do Estado como indutor do desenvolvimento, linha empreendida pelo projeto defendido pelo bloco de forças em torno do Governo Lula, da Governadora Ana Júlia e de sua base aliada, que se contrapõem ao bloco PSDB/DEM que defende a intervenção mínima do Estado na economia na crença que o mercado resolve todos os problemas.

E o exemplo está aí. Nos 12 anos de governo tucano muito se falou em verticalização da produção, mas pouco se conseguiu.

Na verdade, o mercado não se preocupa em resolver os desequilíbrios regionais e a situação social do povo. O mercado é movido pelo lucro, por interesses privados, o Estado é que cumpre o papel de tratar dos interesses públicos, de ter uma visão do todo e traçar estratégias para resolver o conjunto dos interesses da nação e de seu povo
Somente com um esforço concentrado dos Governos Federal e Estadual, e a criação de obras de infra-estrutura essenciais é que se possibilitou dar esse passo decisivo ao nosso desenvolvimento.

A disputa entre esses dois projetos é que será o pano de fundo da disputa eleitoral deste ano: ou dar continuidade e aprofundar o projeto desenvolvimentista reelegendo Dilma e Ana Júlia, ou retroceder ao domínio do deus mercado.


Texto de Neco Panzera

domingo, 4 de abril de 2010

Vox Populi: Serra estagnado, Dilma a apenas 3 pontos

Pesquisa sobre a sucessão presidencial do instituto Vox Populi divulgada neste sábado (3) pelo Jornal da Band mostra que a ex-ministra da Casa Civil Dilma Rousseff subiu 4 pontos percentuais e vai a 31%. O ex-governador de São Paulo José Serra continua à frente na corrida eleitoral com 34% das intenções de voto, estagnado no percentual que tinha em janeiro.

O deputado federal Ciro Gomes tem 10% e a senadora Marina Silva, 5%. Brancos e nulos somam 7% enquanto 13% não souberam responder.

Num cenário sem Ciro Gomes na disputa, Serra aparece com 38% das intenções de voto e Dilma, com 33%. Marina tem 7%, brancos e nulos, também 7% e 15% não souberam responder.

A pesquisa do Vox Populi mostra um resultado bem diferente da última pesquisa Datafolha, divulgada pelo jornal Folha de S.Paulo no último dia 27. Nela, Serra aparece nove pontos à frente de Dilma, com 36% contra 27% de Dilma.

A pesquisa ouviu 2.000 pessoas nos dias 30 e 31 de março e tem margem de erro de 2,2 pontos percentuais para mais ou para menos. Não foram divulgadas simulações de segundo turno.

Fonte: Portal Vermelho

sábado, 3 de abril de 2010

Informes da reunião do Comitê Municipal do PCdoB - Belém

Quinta feira última reuniu-se na sede do PCdoB o Comitê Municipal do Partido de Belém. Na pauta: a atualização da situação política e a aprovação do planejamento bianual da atual gestão com a aprovação das seguintes diretrizes principais:

1º - Participação nas eleições de 2010: coordenação conjunta com o Comitê Estadual da direção da campanha dos candidatos a deputados estaduais com base principal em Belém, na campanha do candidato a deputado federal e participação na campanha majoritária;

2º - Aumentar a participação na vida política do município de Belém;

3º - Constituição de direções intermediárias e uma extensa rede de militantes organizados em OBs (organizações de base) ; expansão de nossa base social e eleitoral;

4º - Aumentar a intervenção no movimento social;

5º - Construir bases materiais para o trabalho de direção;

6º - Travar a luta de idéias interna e externa: desenvolver intenso processo de formação de quadros e militantes; constituir um sistema interno e externo de comunicação.


A reunião contou com a participação do presidente estadual do Partido, Érico de Albuquerque Leal que apresentou o informe político.

Compõem o planejamento as ações do Partido no plano político, organizativo, da formação, comunicação e finanças, e nos movimentos sociais em geral, de juventude, mulheres, sindical, comunitário, etc.

Seguindo os passos de Martinho da Vila, Netinho e muitos outros, mais uma artista de peso filia-se no PCdoB

Leci Brandão veste a camisa do PCdoB e defende professores

No domingo (28) mais de mil pessoas lotaram a quadra dos Bancários, no centro de São Paulo, para saudar a filiação da cantora Leci Brandão ao PCdoB. Foi uma tarde com muita música e alegria. "Eu sempre cantei pelos pretos, pelos indios, pelos homosexuais, pelos sindicalistas, pelos professores, pelas mulheres, pelo MST, por todo mundo nesse país", falou emocionada a cantora comunista.

sexta-feira, 2 de abril de 2010

Lélio Costa da Silva toma posse na SPU - PA

Ontem foi a posse do novo Superintendente do Patrimônio da União no Pará. Parabéns ao camarada Lélio que terá a árdua tarefa de continuar o trabalho desenvolvido por Neuton Miranda à frente do órgão. Aliás, durante a posse foi prestada uma bela homenagem a Neuton e que levou muita emoção a todos que prestigiaram a cerimonia.

O Sarney e aliado de primeira hora... e o PCdoB, não é aliado???

O PMDB está pressionando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a reverter a decisão do PT no Maranhão de não apoiar a reeleição da governadora Roseana Sarney (PMDB). O Estado passou a ser mais um problema na aliança entre os dois partidos, depois de, no sábado passado, rejeitar aliança com Roseana e aprovar o apoio à candidatura do deputado Flávio Dino (PCdoB) na disputa pelo governo.

Em encontro com o presidente Lula, o presidente do PMDB e da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), defendeu a necessidade de os petistas ficarem com o PMDB no Estado. Ele argumentou que o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), é um aliado de primeira hora, que tem trabalhado a favor do governo e que espera o apoio do PT à reeleição de sua filha Roseana.

"Isso está sendo resolvido. Haverá conversação ainda", afirmou Temer. Segundo ele, a aliança nacional "ficará melhor se houver solução" a favor de Roseana, mas que isso depende do PT. O líder do governo na Câmara, Cândido Vaccarezza (PT-SP), afirmou que foi uma decisão localizada e que contraria a posição da direção nacional. Ele disse que caberá à Executiva e ao Diretório Nacional decidirem se a posição dos petistas do Maranhão irá prevalecer ou não. "Hoje é cedo para falar qualquer coisa", disse Vaccarezza, ressaltando que o importante é a aliança nacional com o PMDB. O deputado José Genoino (PT-SP) descarta intervenção no Maranhão. "Dilma terá dois palanques no Estado", disse.

O ex-ministro e ex-presidente do PT José Dirceu fez coro com o PMDB nas críticas à decisão dos petistas no Maranhão. Em seu blog, Dirceu disse que a questão tem implicações nacionais, o que já foi traduzido entre os aliados de Dino como a defesa de uma intervenção no PT do Estado para mudar a decisão. "No encontro estadual nesse final de semana, a regional defendeu a coligação com Roseana para a eleição desse ano e foi derrotada. Essa decisão do PT do Maranhão, na prática, contraria as resoluções do 4º Congresso Nacional do partido, de priorizar a aliança com o PMDB e o palanque nacional de Dilma", afirmou Dirceu.

Tanto o comando nacional do PT quanto o PMDB acreditavam em uma vitória no sábado a favor de Roseana Sarney. O presidente petista, José Eduardo Dutra, esteve no Estado e chegou a considerar uma vitória com 15 votos de diferença, segundo interlocutores. O placar da votação aberta foi de 87 votos contra 85. Com o PT e o PCdoB juntos, Roseana perderá a exclusividade de Lula na campanha no Maranhão e cerca de sete minutos do tempo de TV.
DENISE MADUEÑO - Agência Estado

quinta-feira, 1 de abril de 2010

Ditadura militar é contada através de um dossiê

Ela foi relatada em um dossiê organizado por Maria Amélia de Almeida e conta a história de brasileiros que foram vítimas dos anos de chumbo.

A ditadura militar foi um período da história do Brasil, marcado pela violência e pela falta de liberdade. Ela foi relatada em um dossiê organizado por Maria Amélia de Almeida (foto), e conta a história de brasileiros que foram vítimas dos anos de chumbo. O lançamento acontece às 18h desta quarta-feira (31), na galeria regional do Ministério da Cultura, na rua do Bom Jesus, 237, no bairro do Recife.

“O livro conta a história de 426 brasileiros que foram mortos e presos pelos militares. Alguns foram assassinados e torturados, e a maior parte teve seu cadáver ocultado. Eu sou militante política, e fui torturada durante a ditadura. Fui presa, juntamente com toda minha família. Tive amigos e companheiros que foram assassinados. Fui testemunha ocular de um assassinato”, contou a organizadora.

A história pessoa de Maria Amélia está muito ligada à ditadura. “Tive filhos com 4 e 5 anos presos. Minha irmã teve o bebê na cadeia”, falou.

Globo.com

Apoio do PT do MA ao PCdoB abre crise com PMDB, diz jornal

A decisão do comando nacional do PT de não intervir no diretório do Maranhão - que decidiu apoiar Flávio Dino (PCdoB) em vez de Roseana Sarney (PMDB) ao governo do Estado - instaurou uma crise com os peemedebistas. A intervenção havia sido cobrada pelo PMDB, que pede apoio à reeleição de Roseana. As informações são do jornal Correio Braziliense.

Segundo a reportagem, o PT avaliou que não há muito o que fazer agora e que, além disso, os petistas considerou que o PCdoB do Maranhão é mais ligado ao governo de Roseana Sarney do que o próprio PT. Caberia, portanto, ao PMDB atrair a legenda para evitar a candidatura de Dino.

Portal Terra

Acordo nuclear: EUA e Rússia "só" terão 7 mil ogivas

Os Estados Unidos e a Rússia possuem hoje, no total, cerca de 10 mil ogivas nucleares. Tal quantidade de armamento é suficiente para destruir o planeta 14 vezes. Na semana passada, os dois países acertaram um acordo de desarmamento que reduzirá o arsenal para 7 mil ogivas, aproximadamente. Aí as duas nações poderão destruir o mundo "apenas" 10 vezes.


Aqui aparece de forma cristalina a hipocrisia dos EUA quando tenta impedir que países como o Irã, desenvolvam projetos de energia nuclear para fins pacíficos. Só eles podem...

Enviado por e-mail por Neco Panzera